31 outubro 2007

cabeça no ar





O título deste post podia também ser "fecha a boca que entra a mosca", mas era capaz de afugentar alguns estimados leitores deste blogue (e tenho de vos tratar bem, que vocês são poucos mas bons).

30 outubro 2007

uma dor intermidente

Como já vem sendo hábito do meu filho, cavalheiro de primeira e sempre atencioso com a mãe, o Gustavo "resolveu" esperar que acabasse a maminha para deitar cá para fora o primeiro dente. Agora é vê-lo todo orgulhoso a roer os nossos dedos e bocados de pão como se tivesse uma dentadura de T-Rex :D

Ora, no passado fim-de-semana, lá fomos nós à festa de anos da prima do L., onde estava muita gente que o Gustavo não via há muito tempo ou nunca tinha visto na vida. De súbito, toda esta gente lança os braços na direcção do meu filhote, que resolveu começar num pranto como se lhe estivessem a fazer muito mal. Nós, pais, percebemos que era da situação e próprio da idade mas é claro que toda a gente se pôs a mandar muitos palpites. Que era sede. Que era fome. Que tinha frio. Que era do dente, de certeza que era do dente. Gosto tanto, tanto quando isto acontece... O curioso é que ele tinha passado todo o dia bem disposto, ficava bem quando vinha para o nosso colo e só voltava a chorar quando um desconhecido teimava em pegar-lhe ao colo... Quando nós lhe voltavamos a pegar, lá ficava ele contente. Estava feito o diagnóstico: estava com dores intermidentes :P

29 outubro 2007

no fundo do mar

"Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim,
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho,
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim."

Sophia de Mello Breyner Andersen, in Dia do Mar

Anteontem fui correr junto ao rio. Sozinha. E ontem fui mergulhar. Já me tinha esquecido do sol visto lá de baixo, do silêncio e da paz. Mergulhar dá muito trabalho mas o mar... O mar vale sempre a pena.

26 outubro 2007

maminhas

Hoje de manhã, no banho:

gralha: Maminhaaas! Há quanto tempo não vos via! Que é feito?
maminha esquerda: É verdade. Já nem sabiamos se iamos voltar...
maminha direita: Pois, andavas toda contente, com o soutien bem recheado...
gralha: Vá lá, meninas, não sejam assim. Vocês sabem que eu gosto de vocês assim pequeninas.
maminha direita: Humpf... Se o dizes...
gralha: Claro que gosto! Até posso provar com uma pequena canção - as saudadeees quieu já tinha das minhas lindas maminhas tão modestas quanto eeeeeu! (só que mais)
maminha esquerda: Pronto, pronto, já chega! Quer dizer que mandaste as outras embora?
gralha: É verdade, teve de ser. Agora sou só eu e vocês, meninas. Podemos correr, saltar, vestir qualquer roupa sem que se ponham a olhar para o meu decote, uma maravilha!
maminha direita: E prometes que nunca mais nos mandas embora...?
gralha: Ah isso, desculpem lá, mas quando vier o próximo gralhinho lá terão de ir passar mais umas férias prolongadas.
maminha esquerda: Bem, vê lá se, ao menos, para a próxima, nos mandas fazer topless para uma praia das Caraíbas, está bem?
gralha: Topless não que vocês são muito branquinhas. Mas espero poder mandar-vos em breve para a praia com um bikini bem pequenino, ok?
maminhas: Combinado!

(Hoje acabou a amamentação. Não foi por escolha, foi por ter de tomar medicamentos, por isso estou triste... Por isso preciso destas pequenas palhaçadas para a nostalgia não bater tão forte)

24 outubro 2007

números

O que é que acham que significa quando uma gralha começa a sonhar com números, facturas, recibos, extractos de bancos...? Que está a ficar rica? Não (acho que já revelei aqui o facto de a minha conta nunca chegar a mais de dois dígitos a meio do mês). Que é grande fã do sudoku? Apesar de ter levado um livrinho para o trabalho de parto (que o paizinho se entreteu a fazer), também não. Que, apesar de ser socióloga e de toda a vida ter tido nojo à Matemática, está a trabalhar com números, facturas, recibos e extractos de bancos? Sim. O que me vale é que o meu marido super-cromo, grande cientista de reconhecimento internacional, que ganhou um prémio - sai uma grande salva de palmas para o meu marido - e não posso dizer mais porque ele gostava de manter o anonimato bloguístico e agora já está difícil, está aqui está a ganhar um dinheirão e eu vou poder ficar em casa a cuidar dos nossos filhotes e cães e a criar a tão sonhada Fundação Gralhamiga...

p.s. Já me tinha esquecido de como o meu filho é bem disposto e como bem quando não está (bastante) doente! Quando está doente, come e sorri, mas quando não está é uma espécie de Magali meets João Baião nos tempos áureos do Big Show Sic. Mas sem a parte efeminada.

23 outubro 2007

chuva

Pronto, já podes vir. Eu, cá por mim, passava bem sem ti o ano inteiro, dadas as minhas inclinações saharicas, mas suponho que já anda por aí muita gente a aguar e até que o meu carro já precisava de ser lavado.

22 outubro 2007

cão útil

OK, como é que eu hei de dizer isto? Matias, importas-te de fazer isto? E já agora aprendes a mudar fraldas mal-cheirosas e a tirar a ranhoca do nariz do Gustavo. Obrigada,
A tua dona

video

adenda: não sei porquê, pelos vistos ninguém vê o filme para além de mim - é um cão muito giro a acalmar um bebé a chorar. Pronto, e agora vou arrumar as botas que não percebo nada destas coisas de informática, o que é fantástico para alguém que administra dois websites...

19 outubro 2007

ainda os bichos maus

Já me tinham advertido que, no primeiro ano de creche, ele ia estar sempre doente. Não tinham era dito que a mãe também! :( Pai sofre a cuidar desta gente toda...

Bom fim-de-semana e aproveitem o bom tempo, que nós devemos ficar a fazer companhia aos fungos debaixo dos lençóis...

17 outubro 2007

adeus descanso II

Que se põe em pé na cama... Ainda que continue a preferir estar de joelhos - tão querido, tão pequenino e já a revelar as tendências beatas da mãe :p

E esta semana fica em casa porque, depois de 20 dias constipado e agora com febre, já chega. Soro, soro e mais soro, aerossóis com soro (e que instrumento de tortura é a máquina de aerossóis, senhores!), gotas para secar o nariz, ben-u-ron, ben-u-ron. O senhor da farmácia já me conhece...

Agora vou ali tentar dar sangue e já volto.

adenda: não se pode dar sangue num período inferior a 12 meses depois do parto. Nunca chumbei tanto na minha vida como em tentativas de dádiva de sangue!

15 outubro 2007

as dez coisas mais bonitas

Lista das dez coisas mais bonitas do mundo (eu sei que são incomparáveis e que a escolha foi um tudo-nada parcial, mas apeteceu-me fazer esta lista e fiz, pronto):

1ª A gargalhada do meu filho
2ª O sorriso do meu filho
3ª O meu filho a dormir
4ª O mar
5ª O nascer do sol em Cayo Largo, Cuba
6ª O "Canon em Ré Maior" de Pachelbel
7ª O perfil sério do L. enquanto conduz
8ª A poesia da Sophia de Mello Breyner Andersen
9ª O "Every Breath You Take" dos Police
10ª O céu azul de Lisboa numa tarde de Outono com castanhas assadas

Quem quiser faça a sua listinha de favoritos no respectivo blogue mas, por favor, não vamos transformar isto numa daquelas correntes que, se forem quebradas, nos trazem grandes desgraças como o amarelar dos dentes ou perder todos os guarda-chuvas que comprarmos ao longo da vida.

12 outubro 2007

7 meses

Rapozinho do meu coração, que já fazes sete meses: parabéns! Neste mês, estiveste mais tempo doente do que saudável mas nunca perdeste a boa disposição e o sorriso pronto. És tão generoso com os teus sorrisos que eu acho que o Estado me devia pagar um subsídio por andar a alegrar as pessoas que passam por ti na rua. Este mês foi também tempo de grandes conquistas para a tua independência porque aprendeste a ficar sentado sem apoio para brincar à vontade e, sobretudo, a gatinhar para ir descobrir o mundo. E já percebeste que o mundo é muito maior do que imaginavas! Também continuas muito falador e agora dizes coisas com grande convicção que eu, infelizmente, não consigo perceber, o que não nos impede de ter grandes conversas. Estás cada vez mais matulão e, reparo agora nestas fotografias, a transformar-te rapidamente num rapazinho e a deixar de ser bebé. Gosto de ver-te crescer, filhote, mesmo que tenha saudades de ti pequenininho - bem, tu nunca foste pequenininho... - e mesmo que não possamos estar juntos o dia todo aproveitamos muito bem o tempo que temos. Continua sempre assim: querido, meiguinho e curioso, sim?



11 outubro 2007

pintarriscos


Encontrei-o no blogcatita e desde então que ando enamorada pelas coisas lindas que faz. Vejam o blogue e o site e digam lá se não é de ficar com a alma cheia de estrelas e arco-íris.

10 outubro 2007

semáforos

Há três tipos de pessoas perante um sinal vermelho:

O daltónico (vermelho? qual vermelho??)

O nostálgico (ainda agora estava amarelo)

O discreto (ora deixa-me cá abrandar... se eu passar sorrateiramente não há problema)

Normalmente associa-se as mulheres ao daltonismo sinaleiro e os homens à nostalgia neste departamento, mas os discretos é que me deixam mesmo estupefacta! Como é que é possível - e é, que eu já tenho visto alguns durante o dia em Lisboa, não estou a falar de locais ermos às 3 da manhã - que alguém ache que se torna invisível só pelo facto de passar um sinal vermelho a 5 km/hora em vez de a 50 km/ hora? Se é para infringir a lei, façam-no com os devidos tomates. Agora passar de fininho é mesmo coisa de menina, francamente!

(confesso-me daltónica e nostálgica ocasional - raramente! E vocês?)

08 outubro 2007

adeus descanso

Qual é a diferença entre um bebé que não gatinha e um bebé que gatinha? Toda! O meu virou um diabrete - e um diabrete ranhoso, que a constipação ainda não passou. Num espaço de 10 minutos, conseguiu ir dar uma cabeçada na estante, arrancar a ficha do candeeiro da tomada, ir verificar se o aquecimento estava ligado (felizmente não estava), pendurar-se na rede dos brinquedos suspensa do tecto e puxar a gaveta debaixo da cama. Nós iamos olhando boquiabertos para tudo aquilo para ganharmos noção do novo filho que aterrou lá em casa esta semana e dos 1000 cuidados que temos de passar a ter. E ele ganhou a companhia permanente de um de nós a cada segundo, que isto de deixar o cão a olhar por ele no tapete enquanto vamos só ali lavar as mãos é História.

04 outubro 2007

problemas conjugais de idosos

Acho que o meu marido tem ciúmes do tempo que passo a fazer tricot.

(Note-se que ele tem passado os serões a trabalhar em casa, por isso, ou tricotava ou via telenovelas. Assim o Gustavo sempre fica com a cabeça quente e colorida do Inverno)

01 outubro 2007

do fim-de-semana

A piroseira do tempo de Outono já chegou, disso já todos nos apercebemos. De modo que, lá por casa, rendemo-nos às evidências e o Gustavo resolveu apanhar a constipação que anda agora na turma dele (as salas dos bebés levam 8 crianças + um número incontável de vírus) e pegá-la à mamã e ao Matias. A mamã não leva a mal (o Matias também acho que não), só custa é ouvi-lo a tossir a noite toda. Pronto, mas como nem tudo é mau no Outono, também deu para beber chazinho, comer torradas, ver DVDs e começar a tricotar para o enxoval de Inverno do meu filhote. Estou a pensar fazer uma colecção de barretes coloridos, o que é muito ambicioso para alguém que teve de vir ver à net como se lança as primeiras malhas.

Boa semana para todos!

Ah! Já me esquecia do mais importante: mesmo no meio das ranhocas e das rabujices da constipação, o Gustavo descobriu finalmente como se gatinha para a frente! Ainda só dá três passitos e cai para a frente mas estamos muito orgulhosos :D