16 fevereiro 2015

o título do fim

Este é o princípio do fim. Noventa porcento do tempo de intervalo desde a última vez que escrevi foi ocupado numa tarefa interminável. Terminada a tarefa, sinto-me na obrigação de justificar os outros dez porcento da ausência: sumiço de qualquer espécie de vontade de voltar aqui. Já a necessidade de justificar-me explica à roda de noventa porcento dos dez porcento supramencionados. Não quero estar aqui por obrigação, ainda que imposta por mim e por mais ninguém. Um dos vários posts que ficarão agora no eterno limbo de rascunhos dizia qualquer coisa acerca da importância de não sermos desistentes dos nossos valores, de não educarmos os nossos filhos para o relativismo. Os restantes dez por cento dos dez porcento prendiam-se de alguma forma com essa armadilha em que caí ao tentar escrever qualquer coisa coerente e verdadeira sem agredir, mas sem ceder à indefinição. De modo que espero que não se tenham perdido nas contas mas o que importa é o resultado, ao qual junto ainda um abraço e um agradecimento pela vossa visita. Contas feitas, este é o fim do fim.

22 comentários:

Quando me encontrares disse...

Uma pessoa está a trabalhar a ouvir Callas, decide fazer uma pausa quando chega à Casta diva, porque já sabe que é coisa para a fazer chorar, e lê isto.
Opá.
E agora o que vou ler eu?

Panda disse...

Espero que seja temporário. Abraço!

Naná disse...

Ora fuck....me no like!

gralha disse...

Há tanta coisa jeitosa por aí, Quando me encontrares :)

Abraço, Panda.

Naná, email se precisares de alguma coisa. E postais ;)

Mãe Sabichona disse...

Fogo, já estou com saudades.

Carla R. disse...

Comecei agora um excel, na barra de cima esta escrito Gralha e ao lado Calita. Nas colunas vou colocando um X de cada vez que vos ler um post destes. Adoro-vos.
Uma noite vão-me explicar de onde vem esta vossa paixão por finais. Tenho as minhas teorias.

gralha disse...

Vemo-nos no teu blogue, Mãe Sabichona.

Carla R., a Calita já ganhou. Este é o último dos meus finais. Mas diz lá que não ficou bonito? Gosto muito de emocionar-me com as minhas próprias mariquices.

Amigo Imaginário disse...

Estou 90% triste e 10% esperançada de que isto seja passageiro...

Mafalda disse...

Humpf. :-/

calita disse...

Eu perdi-me nas contas, confesso. Não sejas tão definitiva, tu sabes que precisas disto. Até já.
(A Carla R. está do outro lado do mundo, a viver coisas maravilhosas e vem aqui pôr comentários, já viste?)

gralha disse...

Amigo Imaginário, os teus cálculos andam próximos dos meus no que ao futuro diz respeito ;)

Mafalda, parabéns pelo novo bebé que aí vem!

Calita, a sério que é definitivo. Além disso, começo a suspeitar que a Carla nunca saiu de Paris e anda só a fazer montagens em Photoshop.

Izzie disse...

Oh. :/

CC disse...

Gralha,
Leio um ou outro blogue,sobretudo de amigos, mas não sou de comentar. Este comentário é o terceiro ou quarto que faço na vida :-), sendo que o anterior foi aqui também. Tão longo é o primeiro. E os anteriores foram em blogues de amigos. Porquê? Porque gosto do seu blogue, da sua escrita e identifico-me com muito do que escreve e diz sentir. Também tenho dois filhos com idades que devem ser idênticas às dos seus.
Não sei nada de si, nem o nome, mas já pensei: será jornalista?
Que pena que termina aqui o seu "gralha dixit". Vou sentir-lhe a falta. Espero que seja só uma pausa e que volte, um dia destes, quando lhe apetecer. Um beijinho. CC

gralha disse...

Izzie, estou apenas a dar uso à nobre arte da preguiça.

CC, muito obrigada pelo comentário tão simpático. Não sou jornalista, sou socióloga. E uma cidadã perfeitamente anónima e banal. Tem 9 anos de arquivos com que se entreter, pelo menos enquanto não apagar isto.

CC disse...

:-) Ok. Vou andar para trás no tempo do "gralha dixit".
Banais somos todos, gralha. Alguns dos que não são anónimos, só porque têm um bocadinho de holofotes em cima durante um tempo,julgam que as suas vidas são muito diferentes das demais e por isso comportam-se como estrelas. São tão banais como os outros.
Perguntei se era jornalista pela qualidade e estilo de escrita, não pela fama que esperava que tivesse.Beijinho. C.C.

dona da mota disse...

A CC disse tudo: qualidade e estilo da escrita. E agora, Gralha Maria? Ãh?!!!

gralha disse...

Já te respondi no teu blogue, dona da mota. Beijinhos!

disse...

Então, Gralha!?
O que está no fim é o Inverno...

bloganormalidade disse...

Acabei de me certificar que não sou um robô, segundo o que me pediram aqui.

O que não significa que isso amanhã não possa mudar...

Como tal, nunca dou ouvidos a certas conclusões que só se possam vir (ou não) a provar num futuro incerto.
Fora isso, quem sabe não nos cruzamos numa long run algures e me fales sobre percentagens e contas que ajudam a esquecer kms nas pernas ;)

SMak

gralha disse...

Té, com as fotografias que vais pondo até custa um bocadinho menos o Inverno. Mesmo assim, venha o Verão :)

SMak, vou estar atenta a qualquer robot ou não-robot que passe por mim a alta velocidade. Qualquer dia cravo-te um gpx de uma das tuas voltas para a zona Norte, para ver se vario do modo downtown.

margarida disse...

Eu não comentei este post?
Não queria nada que te fosses embora. :(
Se voltares para algum sítio avisa-me! (Se faz favor)
Um abraço.

angela disse...

Gralha, por favor, volta!