12 outubro 2009

entre mundos

Custa-me não estar na minha terra mas, ao mesmo tempo, não ser tratada como turista. É estranho. Neste país, é comum o meu estado de recém-chegada. Acabámos todos de cá chegar e andamos à procura do nosso espaço. Ainda reajo mal a este espaço, como um recém-nascido que quer voltar para a barriga da mãe. Apetece-me espernear, dormir e sonhar que estou em terreno conhecido. Apetece-me sair de casa e apoderar-me dos passeios. Mas o que ainda me custa mais que tudo é saber que esta sensação vai passar e, um dia, vou dar por mim a sentir-me em casa.

2 comentários:

Vera disse...

Vives, portanto, na 5.ª dimensão e eu adoro essa série, lol.
O que eu dava para estar fora de terreno conhecido, ainda para mais com as recém autárquicas, o ronaldo a cantar no anuncio do BEs e eu a ficar a trautear a música, as pessoas pequeninas de cérebro e eu a ficar como elas, lol!

Nô Calaim disse...

Gostei deste post Gralha.

Que observação espectacular: seres a "new comer" e estares a sentir-te bem...