25 agosto 2014

foram três semanas de férias, de modo que vai tudo a eito

Os meus filhos recusam-se a dançar rodeados de freaks amistosos. Também não gostam por aí além de acampar, lá se vai o meu sonho de uma vida de hippie. Ao menos fizemos festas aos burros que dormiam ao nosso lado. Antes de virmos embora, um espanhol deu-me tomates que ainda estão bons passado este tempo todo. Há neste país tractores conduzidos por pessoas que vão a olhar para trás (e nós andámos num deles). Nadar em água doce faz-me pensar em cágados e lagostins que me ameaçam os dedos dos pés. É oficial, tenho de descansar as pernas uma semana se corro mais de vinte quilómetros de seguida. A vista do castelo de Paderne não é grande coisa mas chegar lá acima e voltar foi o ponto alto das férias. O ponto baixo foi ver convertido em inferno o paraíso de há 20 anos: escorregas aquáticos. Já agora, despachemos lá isto das coisas desagradáveis: a temperatura do mar estava o que se sabe, os dias passaram-se a ler à sombra. Para três de nós, o quarto fazia suquinhas na areia. A praia estava impossivelmente cheia. Não vou dizer de que tipo de pessoas para não parecer ainda mais pedante. Esqueci-me de os levar à caça de gambozinos, ora bolas. Comi duas meias bolas de Berlim e bebi cerveja de várias marcas diferentes para a colecção de caricas dos miúdos. Jogámos muito Uno e fizemos relativamente pouca batota. As sestas foram poucas mas muito deliciosas. As minhas sandes são as melhores do mundo. A macieza da minha almofada não compensa o regresso a casa, ao trabalho, sozinha. O facto de estar sozinha pode compensar um bocadinho, ainda não sei mas depois logo vos conto.

7 comentários:

dona da mota disse...

Custa, não custa? Só voltei bem disposta porque decidimos tentar tirar 1 mês de férias para o ano! Em vez de sofrer por antecedência eu sonho, ahahahaah!

Florence and the Keyboard disse...

Voltar ao trabalho depois de três semanas de férias deve ser quase surreal. Uma pessoa habitua-se à boa vida e depois é atirada para a realidade, ninguém merece :p

gralha disse...

Por acaso até não custa assim tanto porque o trabalho que estou a fazer agora é interessante, motoqueira. E porque obviamente estou em negação quanto ao facto de não ter mais férias até 2015.

Florence, acontece a muito boa gente. É estranho, mas sobrevive-se :P

Niall Power disse...

Para terminar as férias em beleza só falta um pulinho a Almada no dia 20 :)

gralha disse...

Agradeço o convite e acredite que gostava muito, Teresa. Contudo, a nossa família "mista" só com grandes empurrões do Espírito Santo estará um dia presente num encontro destes. Haja esperança :)

Amigo Imaginário disse...

Desculpa lá, mas a caça aos gambozinos é um must de quaisquer férias infantis que se prezem! :p

Naná disse...

Tu querias dizer que o tipo de turistas que encontraste eram assim a atirar para os Henriques Raposos!?

Se assim é, somos ambas pedantes!