07 julho 2007

a encantadora de bebés

Não sou eu, é a Tracy Hogg. Para quem nunca leu livros dela nem viu o programa no People & Arts, é uma enfermeira pediátrica, especializada em bebés, com algumas técnicas um pouco heterodoxas nos nossos dias mas muito sucesso em resolver os principais problemas relacionados com o dia-a-dia (e noite!) dos bebés. Digamos que se o mainstream é o Brazelton, a Tracy Hogg está na outra ponta do espectro - apesar de ambos se complementarem em muitas coisas.
Desde que o Gustavo nasceu que temos seguido o princípio EASY (eat, activity, sleep, you) que ela sugere. Parte da ideia, quanto a nós certa, que os bebés são pequeninos e por isso não sabem. Não sabem adormecer, não sabem bem se querem mamar ou se querem só miminho, não sabem quando são horas de brincar e quando já estão demasiado cansados. Como não sabem, cabe-nos a nós ler os seus sinais e guiá-los, introduzindo alguma rotina e estabilidade nos seus dias. Basicamente, devem seguir o processo "mamar, fralda/ banho/ vestir/ brincar/ mimar, dormir (seguido de um período em que o pais conseguem um tempinho precioso para si próprios)". Isto, seguindo períodos de cerca de 2 /3 horas de início, até às 4 horas aos 4 meses de idade.
É claro que isto vai contra o princípio do dar de mamar a pedido que domina hoje em dia. Mas devo dizer que sou cada vez mais fã desta senhora. Esta rotina ajuda não só a criar estabilidade e, logo, maior bem-estar para o bebé e os pais, como mesmo em termos digestivos (digo isto porque às vezes fazia batota e o Gustavo ficava com mais cólicas) e dos sonos - a partir do segundo mês, o Gustavo aprendeu a adormecer sozinho e nunca fica demasiado cansado nem rabujento(e choroso por consequência!). Física e comportamentalmente esta um bebé 5 estrelas, por isso só posso mesmo recomendar este método - ainda que custe, de início, ver o bebé a choramingar e não o pôr logo na nossa cama nem sacar de uma maminha. Porque custa. Mas é só a fase da aprendizagem.
Sei que há quem ache que estes princípios podem ser um bocadinho rígidos mas o truque está mesmo em saber, em última análise, seguir o nosso instinto. É claro que há dias em que ele tem mais fome e precisa de comer mais cedo. E há dias em que dorme menos e volta a brincar antes de mamar. Mas, sinceramente, acho que vale a pena pelo menos experimentar.

E que BOOOOOM que é poder passar o fim-de-semana de novo com ele, a brincar, cantar, dar banho, passear... :D

3 comentários:

Margarida disse...

Eu sp fiz tudo ao contrário do que "devia" (supostamente...): abusei do colo, da maminha a pedido, levantava-me de noite cada vez que ela se mexia. Só não a habituei a dormir na nossa cama, por achar perigoso, ainda que digam q n é.
Resultado: dorme a noite toda desde os 3 meses, no quarto dela desde os 5 meses, não é exagerada a pedir colo, brinca sozinha (claro q cansa-se e gosta de ter alguem c ela, ainda q n seja a brincar c ela).
Segui o meu instinto, mas tb há bebés mais pacíficos que outros.

Aproveita bem o tempo com o Gustavo!

Bjs

Maçanica disse...

Nós também não saltamos a cada suspiro do Amadeu. O R. tem algumas ideias para o heterodoxo com as quais concordo, embora os nossos pais achem "estranho". Há, de facto, muitos mitos e ideias sobre a maneira correcta que, por vezes, não é assim tão correcta.

Beijocas e viva o fim-de-semana!!!

Snowgaze disse...

Cada mae é que sabe o que é melhor para o seu filho. O meu (ainda me lembro) comia de 4 em 4 horas (nasceu muito grande!), mesmo de noite, e passado um mês já dormia oito horas seguidas... um espetáculo. :) E também tinha um horário rígido (nem me lembro de ter precisado de abrir excepçoes). Por outro lado, na altura, dava-se água aos bebés, parece que hoje em dia é política de muitos pediatras nao dar água aos meninos...