30 julho 2007

um fim-de-semana intenso

Este fim-de-semana foi uma montanha-russa de emoções lá por casa. O Gustavo andou a dormir melhor (os pais agradecem) e por isso parece que desenvolveu, de um dia para o outro, mais uns milhõezitos de neurónios. Com a consequente evolução comportamental.
No Sábado, fez a maior birra que alguma vez o vimos fazer, em casa dos meus sogros. Aqui, normalmente, aproveitaria para fazer uma piada mas, como compreenderão adiante, estou de "castigo" por mau comportamento materno. por isso vou apenas dizer que aquilo foi uma coisa sem explicação. Não parava de chorar e gritar. Ele, que é sempre um bebé tão dócil e calminho... Bem veio dar razão à bisavó R., que acha que ele é "bravo"...
Logo a seguir a esta fita toda, fomos com ele ao seu primeiro concerto. Não, não foi um concerto para bebés. Foi um (óptimo) concerto rock (dos the guys from the caravan, vão espreitar, a sério), com música demasiado alta, na verdade, e o Gustavo esteve, na segunda fila, todo contente a dar à perna ao ritmo do cavaquinho e da pandeireta, sem dizer ai nem ui. Um espectáculo!
Mas o pior veio ontem. Depois de o termos ido assar para o Parque das Nações (carregado de protector solar, mas estava demasiado quente para qualquer bebé andar cá fora, reconheço), voltámos para casa ao fim da tarde. E aqui a mãe inconsciente, apesar dos avisos do pai de que ele já rebola a alta velocidade, deixou o seu bebé no meio da nossa cama bem larga, e foi uns minutos à cozinha. Quando entrei no quarto, fui mesmo a tempo de ver, como em câmara lenta, o meu filho a dar uma última volta e lançar-se no ar até cair no chão.

Esta cena passa agora em loop na minha cabeça. Nem consigo descrever o que senti...

Gritei (o que fez o pai vir a correr) e lancei-me para o pegar do chão, entre o choro dele e os meus soluços, e a minha reacção instintiva e absolutamente parva foi pô-lo ao peito para mamar. Como se isso resolvesse alguma coisa! Lá nos acalmámos todos e ele não demorou muito a ficar bem disposto de novo. O zeloso papá insistiu para o levarmos ao hospital e assim foi. Foi visto pela médica, fez um raio-x e, em princípio, parece que foi só um susto. Temos de estar atentos nestes próximos 3 dias a mudanças de comportamento, sonolência ou náuseas/vómitos.

Tenho o coração tão apertadinho... Errar é humano mas uma mãe devia ser super-humana. E é claro que hoje ainda custou mais vir trabalhar e deixá-lo com o pai e a minha sogra, que vai render o filho nas próximas duas semanas nos cuidados ao Gustavo.

6 comentários:

Sara MM disse...

UI!!!!!


beijinho!!! e força para alargares de novo o coração...
pensa que um dia qd lhe contares tudo isso ele se vai rir,
e vai dizer "oh mãe, e tu importáste-te? eu nem me lembro! deixa lá isso! :o)"


eu tb não sou super humana... estava ao telefone com a irmã e pumba, caiu de nariz na pedra da sala!!! só a imginava com o nariz torto para toda a vida, como eu, por causa de mim!!! :o(
mas parece que nao..

(e o pai, ralhou-me! achas normal?!?! eu nao lhe ralhei qd nao lhe pôs almofada nas costas..
e trufas - ela atirou-se para trás como sempre fazia na brincadeira!
mas assim aprendeu que isso não é brincadeira.. :o|)


BJss

Maçanica disse...

Pronto, reconforta-te lá que eu já passei essa fase e este fim-de-semana ele caiu numa roseira, quando o levantei ainda tinha picos no nariz e na bochecha e ficou com o braço e a face direita super arranhados... o R. não ralhou mas eu fiquei super triste... se visse um miudo assim arranhado na rua ia achar a mãe irresponsável, percebes. O R. diz que se fossem marcas de cigarro é que ia achar mal assim, são coisas que acontecem... e são mesmo... e desculpem lá mas não há pessoas/mães super humanas, somos humanas e pronto!!!

Agora, relaxa e no dia em que o Guguinha cair numa roseira e quando o levantares ainda tiver picos na carinha, aí sim, vem falar comigo (oh god, o que me terá acontecido nessa altura?... glup)

Kisses

Rita disse...

Ai tadito... mas n te sintas culpada tá? Acontece!

beijocas

Rita&Tiago

Inesa disse...

Oh Amiga, não te preocupes. Isso são coisas que acontecem. Vais ver que foi nada. Os miúdos são mais "resistentes" do que as mães pensam. Só assim elas podem ser e sentir-se super-humanas! Coisa que não são nem sequer têm de ser!

A mim aconteceu-me uma coisa parecida. Devia ter uns 8 meses quando o meu primo se encostou à grade da cama onde estava apoiada e PUM! Directa de cabeça ao chão. Depois de muita choradeira só ficou um galo (e um trauma imenso no meu primo) embora eu desconfie que esta minha personalidade fantástica e irrepreensível tem alguma origem nessa queda! Uns ficam com super-poderes porque lhes cai um raio em cima ou porque são mordidos por uma aranha, a mim , foi a cabeçada no chão!
Bjs
I.

mãe disse...

ooops... :/ deixa lá, olha os meus os dois mais velhos não cairam, a terceira caiu, a quarta qualquer dia também tralha, é das coisas mais comuns... oque vale é que hoje em dia s camas são mais ou menos baixas, aquelas de antigamente todas rocócos com mais de um metro de altura é que eram perigosas, agora as mais modernas escapam... deixa lá isso que te deve ter doido mais a ti do que a ele ;)

Leididi disse...

Calma, foi só uma queda!Acontece... muitas mais vão haver assim que ele começar a andar...
Os guys from de caravan (aproveito para mandar beijinho ao vocalista que não conheço mas é mt fofinho) eram finalistas do tmn garage sessions!