16 dezembro 2008

inveja

Este post não vai ter elevação moral nenhuma, é só para avisar.

Uma gralha anda no ginásio, não é? Até gosta de se esfalfar, de sentir o músculo a tremer com o esforço, coisa e tal. E gosta também de sentir que está a ficar, cada vez mais, um pedaço de mulher (cf. post anterior acerca do problema da imodéstia).
Pois bem, tenho a declarar que fico pessoalmente ofendida quando surgem aquelas serigaitas (como aconteceu hoje) que não só têm pernas esculturais e um rabiosque de rapazinho de 10 anos como umas gigantes mamas que saltitam quando ela faz step. Ou simplesmente quando respira. Eu admito que haja mamalhudas. Eu não sou mamalhuda mas sou elegantezita, vá, tenho as coisas moderadamente no sítio. Agora, é suposto as mamalhudas serem muito gordas. E, já agora, terem um ar brejeiro, de quem não se lava e não é boa pessoa. Mas não. Esta até tinha um ar queridinho, de quem podia ser minha amiga e quiçá ter conversas inteligentes. Parva.

3 comentários:

Vera disse...

LOL

Já há de tudo neste país, não se pode!

Catarina disse...

é burra, de certeza, o que tem a mais nas mamas tem a menos no cérebro!

Gaivota disse...

:D