24 setembro 2013

isto das correrias

A dona da mota desafiou-me a dar algumas dicas para iniciantes de corrida. Eu não percebo nada de planos de corrida, não tenho nenhuma formação nessa área e acho que quem nunca correu deve aconselhar-se com um especialista. Para quem não quer/ não pode inscrever-se num ginásio ou arranjar um personal trainer, há muitos sites que dão algumas luzes sobre esta modalidade, mas cada um vai por sua conta e risco. Veja-se o que me aconteceu, não é?
Mesmo assim, deixem-me só partilhar algumas lições que aprendi:
1. Fazer muito bem os alongamentos, antes e depois do treino;
2. Fazer outra actividade para além da corrida, para fortalecer todos os grupos musculares e não saturar sempre os mesmos;
3. A mais importante: ouvir o nosso corpo! Se eu tivesse parado quando me começou a doer o joelho (e não tivesse corrido mais 10 km em sofrimento), a coisa tinha sido menos má. Quando dói, é para parar. E aplicar gelo. E esperar pacientemente que o corpo recupere.
Caras amigas, se quereis começar a correr, fazei-o pelas razões certas e não pelas erradas. Como dizia alguém no outro dia (não me lembro da fonte, lamento), o exercício não deve ser uma forma de castigo para obrigar o nosso corpo a ajustar-se à imagem que sonhamos; deve ser uma forma de recompensa, para nos encher de endorfinas, bem-estar e energia para enfrentar o resto da vida. Boas corridas!

11 comentários:

Melissinha disse...

"O exercício não deve ser uma forma de castigo para obrigar o nosso corpo a ajustar-se à imagem que sonhamos; deve ser uma forma de recompensa, para nos encher de endorfinas, bem-estar e energia para enfrentar o resto da vida" - LAPIDAR. Só quando comecei ver a coisa assim e passei a optar apenas pelo que gosto, e não pelas modalidades com maior gasto calórico, é que consegui fazer do ginásio um amigo. Amo a libertação de endorfinas que se segue. (Adoraria dizer que é tão viciante quando leite condensado, mas ainda tenho um longo caminho pela frente).

dona da mota disse...

Na minha longaaaaa caminhada de obesa-agora-ex-obesa-ainda-em-excesso-de-peso o grande problema é não ouvir nem sentir o meu corpo. Facto: não há necessidade para comer além do que o corpo precisa, assim como correr.
Quando comecei a perder peso após o 3.º parto o que fiz foi começar a ouvir o meu corpo. É muito interessante. Mesmo.
No domingo a minha mãe fez anos e fizemos-lhe um jantar surpresa. Comi este mundo e o outro. um exagero sem explicação. Tive consciência da quebra de energia que se abateu sobre mim, no final do jantar só me apetecia atirar para o chão e ficar ali - não, não bebi! Uma sensação horrível, uma paragem do corpo, um sono, uma apatia, uma má disposição, um feitio terrível de que o mundo me dia alguma coisa, não dá para explicar. Mas transformei-me e não foi nada bom.
Isto confirma a ideia de mente sã em corpo são e eu, de facto, à medida que fui perdendo peso fiquei muito mais feliz, muito mais leve de corpo e de alma. Neste momento sinto que me falta praticar exercício porque sei que me vai fazer bem. E sem tempo para ginásio, embora tenhamos uma máquina muito boa em casa, ando com esta ideia de começar a correr.
Outra pergunta: é melhor de manhã ou à noite?

Melissa, andas no ginásio e não contas nada?? :)

gralha disse...

Ai, as compulsões, as compulsões. É tramado travar as compulsões, não há racionalidade que nos valha. Será que se tivermos outra pessoa a dizer-nos "para de comer/ para de correr/ para de beber/ para de roer as unhas", resulta...?
Exercício é melhor quando te sentires melhor.

dona da mota disse...

Talvez seja boa ideia.
Vou oferecer um chicote ao R. e sempre que eu estiver a comer demais... zás! Hummmm isto promete. Na volta compro também umas algemas - para o frigorífico, entenda-se! ahahahaah

Naná disse...

Eu até nem desgosto de exercício físico. O meu maior problema é começar... porque depois começo a tomar-lhe o gostinho e quem corre por gosto não cansa, já dizia o ditado!

No meu caso, sinto falta de descarregar as preocupações numa boa sessão de exercício físico, mas quando se tem que conjugar horários que mudam quase todos os dias, é complicado criar rotinas...

dona da mota disse...

Esta fórmula que a Naná refere: "descarregar as preocupações numa boa sessão de exercício físico" - isto acontece mesmo????
Deve ser brutal!

gralha disse...

Não sei das preocupações mas o funcionamento do cérebro altera-se: a memória desliga-se e abre-se a criatividade (quantos posts já alinhavei enquanto corria!).
Naná, não deixes as rotinas mandar em ti - num dia não podes, vais no outro.

Melissinha disse...

Ando no ginásio há uns dois anos, Sô Dona da Mota!

triss disse...

Gostava mesmo de começar a mexer-me, mas até agora é só um pensamento. (talvez seja assim que as coisas começam)

D.S. disse...

Descobrir este blog foi mesmo muito bom, não só porque descobri pela primeira vez um blog de uma maratonista como estes links para sites sobre corridas me estão a ser extremamente úteis. Vou ficar atenta a posts sobre corrida por aqui ;)

gralha disse...

Bem-vinda, D.S. Não costumo escrever muito sobre corrida mas se quiseres saber alguma coisa sobre os meus treinos, manda um email.