21 janeiro 2008

sozinha

Sempre precisei de estar, de vez em quando, um bocadinho sozinha. Com os meus pequenos rituais. A não fazer nada. Enrolada num cobertor, só com uma mãe de fora a equilibrar um livro - já para não falar da minha "fantasia" mais recente que é apenas estar um bocado numa esplanada com sol e calor, a torrar as pernas enquanto bebo um sumo de laranja e devoro um livro inteiro ou mesmo uma revista fútil. Como é muito difícil ter esse bocadinho sozinha, às vezes irrito-me com certas coisas sem necessidade.

O que é engraçado quando faço o contraste com o filme que vi ontem (I am Legend), que aborda a mais profunda solidão do ser humano. O fim do ser humano enquanto tal porque o ser-se humano é inseparável do estar com outros seres humanos. Mas é possível que seja isso, acima de tudo, que me falta: sentir falta dos outros para me humanizar um pouco. Para aceitar as pequenas falhas, para reconhecer as minhas imperfeições, para dar o devido valor a cada gesto.

5 comentários:

Ana Rita disse...

Pois é, somos por natureza seres gregários, assim o dizem inumeras teorias... mas por vezes, para que nos sintamos bem, temos que nos fechar no nosso "cubo" e olhar tudo de longe até sentirmos saudades do resto da humanidade!

Margarida Atheling disse...

Percebo-te perfeitamente.
Sinto exactamente essa mesma necessidade.

Bjs

May disse...

Eu também tenho muito essa necessidade, aliás, cada vez mais!

Inesa disse...

Quem me tira o meu tempo "all by myself" tira-me tudo. Mas é exactamente porque não estou "sozinha". Nem quero estar! Os defeitos dos outros (e os meus) fazem-me falta!

Sara MM disse...

Tb me falta muito isso... é tão bom estar sozinha quando não me sinto só!


Bjss