25 agosto 2009

do amor filial

Entro no quarto às 23h para compôr a habitual revolução de lençóis. Levanta a cabeça como um tartarugo e entreabre os olhos. "Shhhh. Estou só a tapar-te, Gugas." "A mamã é querida." Sorri e adormece de novo. Os nossos filhos não são sempre uns anjinhos. Mas são muitas vezes.

2 comentários:

Vera disse...

pois são!!!

Sara MM disse...

que liiiiiiiiiiiindo!!! que ternurinha!! que fofo!!!!!!!
adorei!

bjss