23 fevereiro 2010

palpites, a sequela

Posso gritar um bocadinho, posso? AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH. Uma pessoa pensa, na inocência dos seus quase 31 anos, que, ao segundo filho, as pessoas se inibem de dar palpites a torto e a direito. Errado. E eu, com a minha mansidão de rinoceronte, tenho de contar até 10, até 100, até 1000 em todas as línguas que conheço.

4 comentários:

Luna disse...

explica lá que se passou?

Rita disse...

n m digas q a tua sogra foi visitar-vos, ahahhahaa :)

Vera disse...

lol!
Eu apenas ao 3.º filho tenho sido mais poupada mas... porque já estamos na nossa casa. Os outros dois entre as casas dos sogros e pais foi mais complicado... mas acabei por me tornar mais compreensiva e paciente, às vezes. Agora quando os visitamos os palpites continuam, CLARO, mas já não ligo pois sei que a seguir vou para o porto seguro! faz toda a diferença, para mim!
O engraçado, e devia haver um estudo sobre isto, é que quando estamos só os 5 as coisas correm muito bem, a todos os níveis, isso ou a sede que eu tinha de morarmos sozinhos que me dá uma perspectiva mais serena das coisas!

Costinhas disse...

tu tinhas mesmo essa esperança?! :p

beijinho