28 agosto 2010

a (falta de) vontade de regresso*

Desde que entramos para a escola, todos aprendemos o sabor agridoce do fim das férias. É chato largar o descanso, mesmo quando este foi só teórico. É difícil voltar à rotina, mesmo que as rotinas só tenham mudado de endereço. É duro voltar a casa, mesmo quando a casa de férias sabe mais a casa. Isto tudo é pior quando temos a sensação que aquele avião que nos leva de regresso ao destino emigrante é como uma camioneta de porcos a caminho do matadouro.
Gostava mesmo de não voltar a tocar este disco do ó-que-me-levam-da-minha-terra, a sério. Detesto chorinhos e repetições. Acontece que não me apetece voltar, o que é que eu hei de fazer? Tenho de torcer o meu próprio braço, suster as lágrimas e mostrar-me contente, mas não estarei. E custa-me cada vez mais despedir-me das pessoas de quem gosto porque agora sei mesmo o que é estar longe, o que significa não estar cá para as coisas grandes e as coisas pequenas. Por isso, se quiserem dizer-me alguma coisa à laia de consolo, por favor não me digam que vai ser óptimo, que passa num instante, que desta vez é mais fácil. Digam só que sabem como é difícil para mim e que me desejam o melhor. E entoem silenciosamente o meu mantra poliglota de muitas asneiras para ajudar a suportar a dor.

* direitos de autor da Ana C.

8 comentários:

Ana C. disse...

Não torças o teu próprio braço, nem sustenhas as lágrimas coisa nenhuma. Vai aos gritos, arrastada pelo aeroporto, a derrapar no carrinho da bagagem. Faz a birra a que tens direito por favor, sim?
Acredito que te deva custar imenso o regresso...

Nuno Andrade Ferreira disse...

Gralha,

Estás fodida. E quando lá chegares, vais achar a tua casa uma sítio detestável para ser viver e achares os cabrões do americanos (podiam ser argelinos, etíopes ou ganeses) os seres mais estúpidos que Deus algum dia concebeu.

Mas depois passa, aí uma semaninha depois, quando voltares à tua vidinha estúpida.

Palavra de emigrante.


NAF :)

snowgaze disse...

é o catano. para mim, é saber que vou sair do verão directamente para o inverno (sim, que por lá estão doze graus e chuva, e isso na minha terra é inverno). E que se acabam os mimos da mamã. E as coisas boas. Mas acredito que seja mais difícil para ti do que para mim, desta vez. Eu estou mais perto, e não vou ficar tanto tempo sem voltar. E a mim é isso que me torna mais fácil o regresso.

Leididi disse...

Deve ser uma angústia tremenda. Nem consigo, sequer, imaginar. Só sei o que custa ter gente de quem se gosta, longe. Mas faz birras e esperneia e queixa-te e tudo a que tens direito. E quelquer coisinhas, estamos por aí, na blogosfera, sim?
beijinhos!

Rita disse...

mariana,eu qd etsive em sevilha, mmo aqui ao lado, por uns míseros 4meses, só pensava em voltar para o meu mundo, para os meus. não estava feliz. de todo. imagino tu, q estas mt mais longe... deve doer à brava... mas a vida é mesmo assim, temos de fazer sacrificios e estar onde está a nossa família :) be happy :)

VDA disse...

Olha, já disseram tudo mas eu tenho, cá para mim, que se te puser 10 minutinhos ao telefone com o Rui, és gaja para sair daqui a correr e aos saltinhos de alegria... juro!
Qualquer coisa, tens o meu número. Eu passo-lhe o telefone! :)
Beijinhos minha doida!!!

Marta disse...

Mariana,
Aqui esta também emigra na Gringolândia diz-te que te prepares para o embate, desta vez NÃO vai nada ser mais fácil, pelo contrário! Quanto mais tempo aqui estou, mas difíceis se tornam os regressos de Portugal, cada vez me custa mais! Antigamente ao fim de uma semana começava a sentir-me melhor, agora levo um mês inteiro a recompor-me!
Como diz o Nuno, quando chegares vais achar a tua casa detestável, não vais sentir aquele calorzinho confortável do regresso a casa...até a língua inglesa de american accent me irrita solenemente, assim que oiço o esganiçado das empregadas das lojas com o seu "Hi guys, how are you doing today..." só me dá vontade de as mandar à m...
Depois vai passando, mas as primeiras semanas são violentíssimas, a despedida no aeroporto horrível, a viagem muito dolorosa, uma coisa quase física que te mói por dentro...
Desculpa o comentário tão negro, mas sei bem do que falas e aquilo que vais sentir...força, porque, parecendo que não, o sol vai voltar a brilhar e, passado algum tempo, começas a conciliar-te com o espaço de novo!
Um beijinho muito solidário,
Marta

Sara MM disse...

Sei como é difícil para ti e desejo-te o melhor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

BJSSSSSSSSSS!!!!