29 agosto 2010

a fome que dá em fartura

9 meses 9 de reclusão no lar, sem vagar para coqueterias, poucos meios para gastar em mariquices de gaja - excepção seja feita a uma ida a Nova Iorque - e chego a Portugal pronta a adquirir metade do stock das Zaras e H&Ms todas que encontro pela frente. Já houve spa, febre de sapatos, cremes, maquilhagem, vários vestidos, uma enjoadeira de montras. E anteontem sujeitei-me à tortura anual da ida ao cabeleireiro. Resultado: estou muito gira (se um Yorkshire Terrier puder ser considerado giro). Volto para a América, pois sim, mas enchi a barriga de perder tempo com futilidades.

2 comentários:

Lebasiana disse...

lol... és completamente doida!;)

beijocas

VDA disse...

Isto não tem nada a ver, chega a ser estupido e fora de contexto, mas agora matava por uma fartura, daquelas cheias de óleo e açucar... e não estou grávida, imagina se estivesse...
Vês como é bom ser emigra?!!! Eu que vivo cá não ponho os meus pézinhos numa zara há sei lá... 5, 6 anos?!!! Buááá!!!! Vou adiando constantemente idas à civilização e dá nisto.
E Spas????? Achas que já frequentei?!!! Nop! Não há nas redondezas...
Juro que estou a ficar afectada, pá! Ontem num restaurante o Rui jura que eu tinha a boca cheia uma vez que falei com o empregado, até discutimos pois eu não podia crer...
Chego a acreditar que estou mais longe da civilização (vulgo Lisboa) do que tu do outro lado do coiso... aquilo com água e peixinhos, como é que se chama?!!!
LOOLLLLL