12 setembro 2010

o machado e a colher-de-pau

Era uma vez uma família. Chegando ao fim o Verão, aproveitavam os últimos dias amenos para ir até à floresta recolher lenha para se aquecerem no Inverno. O pai comprou um machado e o filho mais velho ajudava limpando os galhos mais pequenos, por entre a ocasional birra sem razão. A mãe entretinha o bebé com folhas e canções desafinadas enquanto imaginava o que ia fazer para o jantar. Chegados a casa, era tempo de ir buscar as formas e pensar em receitas de biscoitos. A água fumegava na chaleira e os filhos brincavam juntos às casinhas, enquanto os pais liam, sossegados.
Às vezes é mesmo assim.

5 comentários:

Ana C. disse...

E, às vezes, ser assim é bom que se farta. Adorei esta descrição, só me apetecia ir fazer o mesmo, antecipar um bocadinho o Inverno e meter a casa a cheirar a biscoitos e a lenha...

A mãe que capotou disse...

:)

Vera Dias António disse...

Era bom que fosse assim era, mas na vida real, chegados a casa, a mãe vai fazer o jantar (era nisso que estava a pensar...) e o pai vai dar banho aos gajos, sejos que estão e o bebé está aos berros porque está na hora de comer, banho ainda por tomar e com o jantar ao lume a mãe tenta entretê-lo e cozinhar ao mesmo tempo. Depois... só depois dos banhos tomados e do jantar comido, e do bebé adormecido e da loiça lavada e da cozinha arrumada. Depois de preparar as mochilas e de arranjar a roupa para o outro dia, só então os pais têm tempo para ler à lareira. Mas estão tão cansados que não vale a pena acendê-la, sentam-se no sofá, aninham-se e adormecem... acordam cheios de frio, ou porque o bebé chora a pedir mais leite e é quando vão para a cama, mais 4 ou 5 horas. Até ser de manhã e correrem para cumprir os novos horários com o início do ano lectivo.
Isto tudo, e tu sabes que sou optimista e positiva!!! LOL, compliquei a história toda, mas hoje estou em stress: 3 miudos de rajada na escola é muito para uma pobre mãe!!!
Ainda assim, ontem ainda pintei as unhas, removi pelagem em excesso, de manhã pintei os olhos e, cansada, era uma mãe bem gira!!!
Os gajos ficaram bem, a mãe está meio aérea e com nauseas... LOLLL
Voltando à tua história, estou a brincar às tragica-comédias mas, sim, há dias assim, e é muito bom!!!
Beijos!!! Espero mail teu com boas noticias, sim?!!!!

gralha disse...

Vera, de toda a tua história só me impressionaram as náuseas: mulher! tu não esperas nem mais um bocadinho pelo 4º???
(espero que todo o dia dos meninos corra bem e que assim seja daqui em diante)

Vera Dias António disse...

Das nauseuas... sempre fui uma moça com apetite, como sabes! Não sei se é da idade ou das responsabilidades mas, desde o nascimento do Lourenço mudei tanto, aliás, o meu sistema nervoso mudou tanto... agora quando me enervo não ataco o frigorífico... fico com náuseas, JURO! Nunca cheguei a vias de facto, mas sinto um enjoo... talvez por isso tenha emagrecido 31 kg desde que nasceu o mais novo...
Isto com um 4.º fico na linha num instante!
Mas... sim, ando a repensar ter um 4.º, pelo menos por agora, ou por hoje, já que mesmo agora que os fomos buscar, me sinto enjoada, meio triste, o normal de qualquer mãe, acho eu! O Amadeu chorou uns bons bocados, pelo que teve direito a uma educadora só para ele, a coordenadora não tem turma e "adoptou-o", de tão carente que ficou...
Neste momento passa-me tudo pela cabeça, até tenho medo que ele fique traumatizado e odeie a escola para sempre... mas como diz o Rui "foi só o 1.º dia...".