14 dezembro 2010

viagem no tempo

Ontem ao jantar (aqui, visualizem o caos do costume) dei por mim a imaginar o que pensariam a gralha & su muchacho se aterrassem naquele cenário vindos directamente do dia em que se conheceram.
Interlúdio explicativo para quem não sabe: conhecemo-nos com 17 e 15 anos, respectivamente, no clube de remo em que ambos treinavamos.
O muchacho devia pensar: "Eh pá, enrolei-me com esta?!? Eh páááá... Enrolei-me com esta!"
A gralha, por seu turno, pensaria: "O quê? Eu casei-me com este pirralho??? Olha, olha, parece que é como o vinho do Porto..."
Depois, reparavamos nos dois rebentos à mesa, um fazendo golpes de karaté para deitar pelo ar as colheres de sopa, o outro choramingando que isto e aquilo e aquilo.
Reacção dele: "$&"$&±@!!! É nisto que eu me vou meter?!? Bem, pelo menos são parecidos comigo..."
A minha reacção: "Ahhhh... Tão queriiiidoooosss... Não acredito que vou ter uns rapazes tão lindos..."
E pronto, sendo assim, provavelmente haveria certos acidentes que aconteceriam na mesma, apesar do aviso prévio.

4 comentários:

A mãe que capotou disse...

Engraçado às vezes penso nisso e não tenho tanta certeza que aos 17 anos seria isso que ia pensar ao ver o que vejo hoje. Corrijo, não ia pensar assim de certeza.
Fugia a 7 pés. Corrijo, 8.

Vera Dias António disse...

Bem, que exercício fenomenal!!!
Eu, há 6 anos atrás pensaria o mesmo que penso hoje. O Rui talvez fugisse, LOLLLL.
Sim, é aquela ideia do "se vivesse outra vez fazia tudo igual"!
A conversa mais próxima deste exercício que tivémos, o Rui e eu, foi o passo enorme que foi construir casa cá, cada vez mais pensamos se queremos mesmo ficar aqui e esse passo, pesado e com elevados custos, tem muito peso. Agora, saindo de cá, só a ganhar o suficiente para pagar também esta casa. Falamos muito nisto, por acaso, acima de tudo, questionamos se queremos criar cá os miudos, será que os estamos a prejudicar?!!! Depende, como diz o Rui, deixando passar mais uns anos vemos melhor como é e aí decidimos se ficamos, se vamos à aventura. O certo é que olhando de trás para a frente parece-me que temos tomado boas decisões!!!

Margarida Atheling disse...

Olha que se eu e o meu cara metade fizessemos o mesmo exercício, também iamos ficar de boca aberta!!!
Mas, também mesmo com aviso, acho que fariamos quase tudo na mesma!
(Ah! e uma curiosidade: eu também tenho mais dois anos do que ele!:))

Precis Almana disse...

Ahahah
A perspectiva feminina versus a masculina estão o máximo ;-)