24 novembro 2008

quanto dura uma redoma?

Coisa que sempre me meteu "espéce" foram os pais super-protectores. OK, eu peco por defeito e deve ser por isso que o meu filho caiu uma vez da cama, uma vez do meu colo e anda constantemente a dar cabeçadas em todo lado e a coleccionar nódoas negras - e nem pia. Mas antes que a protecção de menores me venha retirar o desgraçado, deixem-me só dizer que acho que uma criança precisa mesmo de espaço para crescer; precisa de fazer um montão de disparates; não precisa de partir nenhum osso mas é provável que vá fazer arranhões; e é de esperar que, mais tarde, um adolescente faça muitas coisas estúpidas - caramba, já adultos continuamos a fazer coisas estúpidas, por que é que não podemos fazê-las antes?
Isto tudo porque me parece que conheço cada vez mais pessoas que colocam os filhos numa redoma de cristal e tentam protegê-los a todo o custo. Sempre em colégios privados, para onde vão de automóvel com ar condicionado, de onde saem para apartamentos em condomínios fechados. Vão para a universidade e continuam a dar-se com as mesmas pessoas, do mesmo meio. Quase não saem à noite. Nunca apanham uma bebedeira. Nunca tiraram um chocolate num supermercado. Nunca espirraram sem pôr a mão à frente e nunca, por nunca, cuspiram para o chão. O problema é que o mundo real bate à porta mais dia, menos dia e ser um grandessíssimo totó não garante as melhores competências para lidar com isso.

Pronto, agora o mais certo é eu acabar por tornar-me a maior das mães-galinhas, apesar do discurso...

4 comentários:

Catarina disse...

Uma vez, num supermercado, tirei um chocolate...vim toda contente cá para fora e meti-o à boca vitoriosa...
Sabes o que era???
Um caldo Knorr

Foi terrível....

Mas sim, concordo, e uma coisa boa que tem o viver nas terrinhas é que as crianças ainda podem brincar na rua, subir às árvores e partir cabeças à pedrada.
Um pouco de selvajaria nunca fez mal a ninguém

Mariana disse...

Concordo e subscrevo. Irrita-me as mães que a criancinha tem de comer tudo passado senão engasga, que não pode correr porque pode cair, que não pode pagar em nada, que andam com 400 peças de roupa, que não saem quando está frio, que não tocam em animais e etc etc etc...

Gaivota disse...

Concordo e também sou assim, mas não critico quem não é. Cada um com as suas razoes ;)

Bjs

Vera disse...

Eu também não sou de grandes paneleirices com os miúdos. Numa redoma de cristal é que eles não vivem.
Brincam com os gatos, com os cães e na terra. Preocupa-me muito o querer educá-los bem, seguros, confiantes, positivos, mas não merdosos.
Preocupam-se as birras, quando exageradas e às vezes não sei se lido bem com elas. Também me irrito comigo quando, com stresses exteriores descarrego um bocado neles, porque devia ter mais paciência com eles e às vezes falta-me e sinto-me mal.
Às vezes questiono se estamos a fazer bem as coisas, é normal, é uma grande responsabilidade mas, no geral, sinto-os felizes e acho que o são! Se não são façam queixa à CPCJ! :)