12 abril 2011

as fronteiras da mitologia infantil

Gugas: "Mamã, a Fada Sininho existe mesmo?"
gralha: "Não, filho, é só uma personagem de desenhos animados, como o Mickey ou o Handy Manny. A única fada que existe mesmo é a Fada dos Dentes."
Enquanto proferia estas palavras apercebi-me do cerco que se aperta na minha vida familiar, da necessidade de esclarecer quais as fantasias oficiais do pedaço e quais aquelas que devem deixar-se cair. O Gugas anda muito inquieto com a diferença entre o mundo real e o imaginário, adora jogos de role-playing e tem uma quedazinha especial para o dramático. Ainda dá em actor de telenovela venezuelana, se não temos cuidado. De modo que a lista oficial de personagens imaginárias (shhhiuu, mas não digam aos meus filhos!) da família gralha é a seguinte: Pai Natal, Coelho da Páscoa, Fada dos Dentes e os Duendes que vivem na floresta junto à nossa casa. Vamos ver até quando dura...

2 comentários:

Vera Dias António disse...

Bem, que tema...
Lá em casa não se cultiva particularmente esse imaginário, que imaginação a mais têm eles. No Pai Natal eles acreditam, quer dizer, acreditam que vai a casa dos avós onde passamos a noite de natal. O meu sogro bate numa chapa junto à lareira, como se ele estivesse a aterrar no telhado e depois lá aparece a minha sobrinha vestida de Pai Natal e é muito giro. O que os confunde é a susma de pais natal que por aí aparecem, nomeadamente o da nossa festa da Câmara em que o pai natal já chegou a ser o meu pai, que eles reconheceram, e que foi o herói deles por algum tempo, não é qualquer um que é neto do pai natal, LOL!
De resto, nada de especial, quando chegar a altura vamos sustentar a ideia da Fadinha dos dents, que é giro.
Sabes, o Ruca ainda hoje de manhã pos o relógio do ben 10 e transformou-se num gormiti, mais imaginação do que isto não é preciso!
Beijos!

A mãe que capotou disse...

Aqui foi tocado um assunto capotadissimo, ha imaginação deles, a minha, dos filmes, do piriquito, até prova em contrario tudo existe e é possivel. Quando descobrirem tudo vou ter que optar por um dos 3 cenarios :
- Não me digas ! O que é que descobriste mais ? (e perco o pedestal "a mãe sabe tudo")
- Sim, era uma bela historia, por isso vivemo-la durante uns tempos (aqui, dependendo da idade sou internada, tenho a pena dos meus filhos, perco a credibilidade ou no passa nada)
- Nego tudo até ao fim (não sei o que consequências vou enfrentar neste caso...).