30 abril 2011

miaúfa

Li há dias uma mãe dizendo que não se inquietava com vírus e demais ameaças pequenas ao bem-estar filial. Pois eu tenho mais medo das doenças e sofrimentos dos meus filhos do que se me largassem no meio de leões com o rabo pincelado de molho BBQ. Não acredito em mães sem medo.

6 comentários:

Melissinha disse...

Para mim, o medo é indissociável e proporcional ao amor.

Vera Dias António disse...

Ora bem, compreendo e sou como as duas. De facto tento não ser muito stressada com aquelas doenças "pequenas", tipo constipações. As avós ficam preocupadíssimas, aí tanta tosse, ai que não come nada, ai que devia pedir umas vitaminas ao médico... calma, é normal, toda a gente se constipa, logo passa e o apetite volta. Depois há a outra parte de mim, diria que chega a ser obscura, onde cabem todos os medos e receio todos os males. Ao ponto de me ver aborvida por eles, e se acontecesse algo muito mau, e se, e se, e se... e tenho que me puxar desse lado ou dou em doida, tanto medinho que sinto...
Beijocas e boa semana, agora que a terra que te acolhe aniquilou o Bin, um motivo menos de preocupação!

Margarida Atheling disse...

Eu também não!!!
Sinto rigorosamente o mesmo que tu!

Rita disse...

tbem m borro tda c doenças p os putos. no domingo, festa d anos c MUITOS miudos e o pedro so abraçava e dava beijinhos a miudas c febre e ranhosas e eu em panico (n ia dizer nd, dava mau aspecto, lol). resultyado: ja ta doente! F$&/&

Sara MM disse...

depende da doença e do tempo de doença. há males menores, isso é verdade. mas doi sempre o coração vê-los a sofrer!

sofia disse...

Eu também não consigo acreditar em mães sem medo!
É um medo que nos faz agradecer todos os dias a saúde e a alegria que temos e nos faz desejar que isso nada mude
É um medo por nós e por eles, é amor"!