10 julho 2012

yes we can (even if we shouldn't need to)

Estou cansada, can-sa-da, de ouvir mulheres* apregoando o seu estoicismo intocável, a sua dedicação à dieta desnecessária, o seu investimento hiperactivo em múltiplos projectos profissionais que disfarçam tão malzinho inseguranças laborais e incertezas vocacionais, e o seu empenho - e consequente sucesso - em relações de sonho. A sério, cansam-me mais do que as cascatas de pulseiras, sapatos e vernizes que adquirem tons néon nesta altura do ano e nos ferem a vista mas, pelo menos, não nos fazem questionar se seremos nós as únicas cansadas, com medo, a chamar nomes à sorte de vez em quando, e com vontade de beliscar o parceiro nem-sempre-perfeito, que se esquece de levantar a tampa da sanita mas, vá, gosta de nós mesmo nos dias de maior rabujice.

* sim, porque não há homem que se sinta na necessidade de suportar tudo e mais alguma coisa desde que a metrossexualização lhes assaltou os nécessaires e as conversas.

7 comentários:

Costinhas disse...

apoiado!

Melissinha disse...

Aqui também.

Naná disse...

e de que maneira!

Joanissima disse...

És grande.
Eu, além de cansada, tenho vontade de lhes encher a fuça de estalos.

Rita disse...

Estamos tão em sintonia... estou tão cansada de pessoas cheias de certezas, de perfeições, de heroísmos disfarçados sabe-se lá de quê.

Vera disse...

Tu vai ver o teu e-mail que eu ontem mandei-te um texto do Miguel Esteves Cardoso que diz exactamente isto sobre o casamento, não há certezas, há problemas e há trabalho.
Só me tocaste, pá, na cena dos multi-projectos que demonstram falta de certezas profissionais e de vocação, sou tão eu... Sempre e inventar cenas e cheia de medo...
Eu sei, penso que sei, de quem estavas a falar, mas tocou-me um bocado, mais porque estou no fim da linha, naquela fase (profissional) em que tenho que apostar em qualquer coisa que me encha as medidas (e um bocadinho a carteira). É como se tivesse que crescer, mas isso já é outra história...
Beijinhos Gralha do meu coração.
Nota: Gosto desta fase deste blogue e tua. És tão tu!

gralha disse...

Vera, amor do meu coração, já conhecia o texto do MEC mas aqui vai o devido obrigada pela lembrança. Quanto à questão dos multi-projectos, repara que eu apoio sempre a iniciativa e o empreendedorismo - referia-me antes à necessidade de algumas pessoas de atirarem muita coisa ao ar ao mesmo tempo na esperança de agarrarem alguma, numa fuga para a frente completamente às cegas. Parece o pessoal que vai às audições dos Ídolos ano após ano...