21 dezembro 2012

retomar isto das expectativas

Posto que o mundo e a vida continuam, como lidar com a existência de um futuro? Já tinha contas saldadas no banco e no coração, deitei-me tão consolada ontem a achar que o mais importante estava assegurado, e afinal volto a ter de criar expectativas e assentar compromissos na agenda. Não é que me falte ânimo para o que há de vir, é só que já está tudo tão perfeitinho assim: tenho um filho de dois anos que me prega partidas e até já come e tudo; tenho outro de cinco que leva o irmão ao bacio quando vê que ele está com cara de caso. E projecta arranha-céus futuristas onde dará casa a todos os sem-abrigo do mundo. Um exagero de meiguice, os dois, sempre a fazerem-me declarações de amor. Dois homenzinhos criados. O que é que se pode pedir mais do amanhã? Ah, pois, os dias que recomeçam a crescer :)

3 comentários:

Naná disse...

Umas idas ao cinema com os miúdos já grandotes para ver filmes que não envolvam bonecos...

disse...

Votos de um Natal quentinho e docinho.
Feliz Natal!
Bj

ouvirdizer disse...

Mas tu não viste que os próprios dos maias(ou quem resta deles) celebraram a entrada numa nova época de esperança, de renovação. As más linguas é que os interpretaram mal, gente negativa. Pois eu acredito que é mesmo a entrada numa nova época de esperança. Embora o medo do fim possa ter ajudado a redefinir ideias, como diz que acontece com ques esteve para morrer. O certo é que parecendo que não, podemos arrumar ideias: o que deitar fora, o que renovar, em que apostar, etc.
Por isso mesmo a minha agenda de 2013 já tem 6 planos a cumprir! Beijinhos e se já não nos virmos (ahahahaah) um 2013 Cheinho de esperança!