03 janeiro 2014

retrato de hoje

De vez em quando preciso de fazer este exercício: olhar para o tempo presente e fixá-lo em palavras. Porque não chegam as imagens no Instagram e, infelizmente, a memória já não é a mesma.
Por estes dias tenho fraca vontade de trabalhar, mais por dificuldade em vencer um obstáculo técnico do que por preguiça. Não tenho novas metas para a corrida, o que é um bocado estranho. Vou fazendo os meus treinos habituais até surgir um desafio interessante. Estamos a planear a tão ansiada viagem ao paraíso da biodiversidade e oscilo entre a excitação tremenda e o receio que algo não corra bem. Prestes a celebrar 7 anos de casados, acho que a nossa relação está igual ao que era desde o início. Não sei se é bom, mau, ou se não quer dizer nada. Conhecemo-nos muito bem e, no meio das nossas diferenças graníticas, encontramos cada vez mais um fundo comum de princípios e respeito mútuo.
Os rapazes estão crescidos, claro. O Gustavo sempre entusiasmado com a escola, a ler cada vez mais depressa, curioso, introspectivo, meigo e paciente. Trocou a namorada que já vinha do Jardim de Infância por uma pirosona. Os rufias do segundo ano têm dado tréguas e ele vai ganhando alguma confiança para lidar com os miúdos imbecis e malcriados as crianças que não têm o devida estrutura emocional. O Diogo está a ganhar vocabulário a uma velocidade incrível e continua a não conseguir pronunciar os érres enrolados. Ainda se sente minúsculo na escola e vinga-se um bocadinho no mano. Tem uma namorada com 6 anos (acha ele...) mas continua a querer casar-se comigo. Está a comer muito melhor. Adoro vê-los brincar juntos, ainda que comece a haver algum confronto físico. E delicio-me quando partilham livros, gargalhadas, carrinhos e bolachas.
Assim é a nossa vida no início de 2014. Não podia ser mais banal mas acho que não a trocava por nenhuma outra.

7 comentários:

Melissinha disse...

Olha, na minha opinião é excelente que um casamento de sete anos esteja como no começo, porque o começo é entusiasmo e entusiasmo é bom. Pronto, fica aqui a minha pérola de sabedoria conjugal.

Amigo Imaginário disse...

Ver dois filhos tornarem-se irmãos é das coisas mais bonitas, não é? E a ternura das coisas simples que descreves também.

Catarina disse...

Aqui te apresento um desafio:

https://www.facebook.com/ultratrailserrasaomamede?fref=ts

beijinhos

Naná disse...

Venham mais banalidades assim, porque se são sinónimo de vidas felizes, são bem boas :)

gralha disse...

Catarina, 100 Km de trail??? Tuestásmazémaluca.

Catarina disse...

Gralhita, há três provas, 24/42/100 km, mas atenção que só as duas mais longas passam frente à mercearia mais bonita, com direito a abastecimento vip ;)

gralha disse...

Catarina, por muito tentador que seja o abastecimento vip da mercearia mais linda de Portugal, ainda tenho muito que treinar para conseguir chegar a um desafio desses :)