04 outubro 2011

o post do não-foi-bem-isso

Depois de duas horas ajoelhada no milho (com este calor, quase fazia pipocas) para ganhar consciência da dimensão pecaminosa da minha irreflectida afirmação, estou em condições de vir aqui proclamar a minha inocência e, ainda assim, pedir desculpa a todos os que se sentiram lesados.
Se me permitem, passo a expôr os meus argumentos:
1º A minha mãe não fez carne assada para eu trazer para o almoço. Sobrou do jantar e eu afiambrei-me;
2º Não tenho microondas no trabalho, pelo que como tudo frio - o que contribui para os meus créditos de auto-comiseração;
3º Quem mais sofre com o cheiro a carne assada são os meus colegas de trabalho, que nem sequer a provam (mas eu ofereço!, antes que me apedrejem);
4º Acho mesquinho que venham aqui acusar-me de peito aberto: quem de vós nunca trouxe marmita para o trabalho?
5º Finalmente, gostava imenso que toda a gente tivesse mimos de mãe, trabalho e olfacto (mais ou menos por esta ordem de prioridades) mas não posso carregar as culpas do mundo se isso não acontece;
6º E agora o clássico: isto é um blogue público, só vem aqui quem quer. Se não gosta, não come.

5 comentários:

Melissinha disse...

Much better now.

(Faltou o "este blog não é uma democracia e não publicarei comentários insultuosos").

Naná disse...

Assim já fico mais descansada! Já se pode deixar de bater no ceguinho!

margarida disse...

Eu quase que achei que este post era a sério. Ufa... Já me informei. ;)

miss design disse...

eu também sou adepta da marmita e quando vou a casa da minha mãe e há sobras, trago o que posso :)

Sara MM disse...

Parto-me a rir contigo! é o que sei! com ou sem cheiro de carne assada...- mas dispenso! :oP