29 novembro 2011

bem resolvida

Depois de deitar os miúdos, lavar a louça, arrumar a cozinha, guardar a roupa dobrada, lavar o chão e - a cereja - esfregar a carpete coberta de vomitado do mais pequeno, que anda viroso, tomo o merecido duche e sinto que, sim senhor, deve ser isto que é ser uma mulher bem resolvida.
Mas depois: pára tudo! Ai o caracinhas. Mas afinal o que é isto de uma mulher ter de se resolver, bem ou mal? Uma mulher por acaso é uma equação de segundo grau? Uma mulher nasce com as peças desmontadas e tem de se ir compondo? Uma mulher precisa de provar a quem que se supera a cada dia?
É que um homem bem resolvido, não há dúvidas, é aquele que demora menos de um nanossegundo a decidir se acompanha a mini com tremoços ou com alcagoitas. E a escolha que faz não tem a menor importância para absolutamente ninguém. Por que é que as mulheres têm de levar toda a santa vida a provar que merecem, que conseguem, que aguentam, que estão bem, que estão óptimas?
Nesta altura, vivo basicamente sozinha com dois filhos, trabalho, trato da casa, meto-me em novos projectos. Mas aquilo que me faz sentir realmente bem resolvida é já não deixar que absolutamente ninguém toque naquilo que, para mim, é sagrado. Não admito, não cedo, não dou para esses peditórios. Se calhar, ser bem resolvida é só conhecermo-nos e respeitarmo-nos a sério.

5 comentários:

Melissinha disse...

Odeio o termo "bem resolvida" ainda mais do que odeio "caridade". O que diabo é ser bem resolvida? E qual é o mal de se ter incertezas, inseguranças, in-outras coisas, recalcamentos?
Prefiro ser uma incógnita, juro por Deus. Sofro menos pressões assim.

margarida disse...

Seja o que for o bem resolvida, o conhecermo-nos e respeitarmo-nos a sério é uma coisa que leva tempo e sabe bem. As melhoras do pequenino!

Caixa de Sonhos disse...

Mas que a propósito, este texto...
Eu sei que hoje sou mais bem resolvida do que há 10 anos atrás, sei muito bem o que quero e para onde vou embora nem tudo dependa de nós. Claro que tenho as minhas inseguranças e medos mas, mais do que nunca, sei precisamente quem sou e sim, isso pode ser o ser-se bem resolvida. A estabilidade que se consegue a vários níveis também ajuda, claro, é um processo contínuo, daí eu dizer que o sou oje mais do que há 10 anos e, provavelmente daqui a 10 anos digo o mesmo, ainda com mais certezas.

Caixa de Sonhos disse...

o h do hoje além de mudo pode ser invisível, como aconteceu no meu comentário, lolll

Ana C. disse...

O que eu gosto mesmo é quando me resolvem por mim.
Ter que explicar aos outros a minha própria solução, ou ter que descobri-la, quando pareço um labirinto mental, maça-me horrores :)