09 julho 2014

a mãe mula

A mochila da praia, com almoço e lanche. O saco com o equipamento de corrida e mudas de roupa. A mala do computador. A lancheira. A mochila da natação. A minha carteira. Antes de sair de casa, recolho cada um destes itens alinhados no corredor, distribuo alguma coisa pelos ombros magricelas das duas criaturas que pastoreio até ao carro, e amontôo o resto no meu lombo. Não pesa muito, o lombo está habituado. A parte mais difícil de ser mãe mula não é a tralha material que anda sempre de arrasto, é tudo aquilo de que temos de lembrar-nos e os detalhes minúsculos associados a cada coisa. O penso rápido que é preciso aplicar sobre a ferida imaginária. Quais as unhas que precisam mesmo de ser cortadas. A fruta em segunda mão que salta de um almoço de ontem para o meu lanche de hoje. Os pesadelos que precisam de ser soprados com muita força. A promessa de um segundo beijinho à noite, quando já estão adormecidos, para selar um dia cheio de areia e golpes de judo. Não precisava de mais mãos mas dava-me cá um jeitaço uma app qualquer que me fosse recordando destas miudezas tão importantes. E são só dois.

6 comentários:

Niall Power disse...

"E são só dois" - Com mais é mais fácil, acredite... Há sempre os mais velhos com lombos mais fortes do que os nossos e memórias mais frescas!!! Ab Teresa Power

Melissinha disse...

Também sou mãe-mula. Morro de pena de mim todas as manhãs.

gralha disse...

Ai, Teresa, mas primeiro que os mais velhos possam ajudar assim há aqueles anos todos de caos. E dou-me muito mal com o caos - deve ser por isso que casei com um Físico ;)

Melissa, cá vai a minha solidariedade de irmã-mula. E continuo a dizer que a auto-comiseração é muito subvalorizada.

Niall Power disse...

Eu também me dou pessimamente com o caos, e por isso cá em casa há uma espécie de regime de infantário... Antes isso a um ataque de nervos diário! Agora que penso bem, também fui mula muitos anos, mas a verdade verdadinha é que nos esquecemos muito depressa disso, e só ficam as gargalhadas... Bj Teresa

Amigo Imaginário disse...

Ando há anos a ver se cresço e se substituo finalmente as mochilas da Decathlon por malas de senhora... :)

gralha disse...

Assim que despachámos as chuchas, fraldas e toalhitas fiz questão de voltar a usar mala de senhora e não de mãe, Amigo Imaginário.