16 outubro 2014

aceitar que se é uma pessoa extremamente irritante

Os meus pais nunca me levaram ao psicólogo e por isso ainda não descobri ao certo a origem dos meus problemas de sociabilidade. Durante algum tempo achei que era por não ser do tipo disruptivo e gostar de aprender coisas, ao passo que os outros preferiam baldar-se às aulas, comentar quem não usava calças Uniform e ouvir aquela música insuportavelmente nasalada, acho que era Britpop. Depois fiquei estúpida e perdi a memória de curto prazo com as gravidezes (nunca passou). Continuei a não estar à vontade no meio de pessoas com mais de dez anos de idade. Mas não é por falta de afinidades com a população não infantil, há muitos adultos que não gostam do mesmo que eu, se bem que seja mais difícil encontrar quem goste do mesmo, sobretudo no plano ideológico-desportivo-confessional. Enfim, até há indivíduos tolerantes que suportam a convivência com beatas frenéticas feministas. A dissonância cognitiva tem o seu quê de atraente no primeiro embate, pode demorar um bocado até fartar.
Finalmente acho que estou na pista certa para diagnosticar o problema: de todos os meus defeitos mais ou menos admissíveis, o que não se aguenta é esta mania de acordar cedo e bem disposta. De uma forma genuína e não só a fingir, para ilustrar instagrames de pequenos-almoços. Isso ofende. É uma maneira muito feia de apontar o dedo à cara de cada cidadão honesto que se levanta a rosnar e leva o seu tempo a ficar de bem com a vida. Viver todos os dias é difícil, é preciso muita arrogância para achar que se pode começar logo a abrir. Compreendo-vos, pessoas. Se conhecesse alguém como eu também tinha alguma vontade que lhe caísse uma bigorna na cabeça. Já tentei deitar-me tarde e consumir substâncias inebriantes, para ver se isto amansava. Acordei cedo na mesma, rabugenta, e não fiz um único amigo nesse dia. Não há nada a fazer, não nasci para ser socialmente aceitável.

10 comentários:

Naná disse...

Eu posso acordar rosnante e macambúzia... Mas depois das 16h30, sou a pessoa mais sociavelmente agradável.

A essa hora ainda estás com vontade de fazer amigos?

gralha disse...

São 9h52 e já sinto o ocaso a aproximar-se, Naná. Acho que não pode haver nada entre nós :P

Quando me encontrares disse...

Eu não acordo rosnante. Mas nos primeiros minutos não gosto de falar, só isso. Já o miúdo lá de casa saiu ao avô, acordando sempre bem disposto e pronto para a conversa.
Quanto ao resto... Demorei algum tempo a aceitar-me como introvertida, porque a pressão familiar e social é sempre para sermos todos extrovertidos. Agora que me aceitei, sou muito mais feliz, sem culpas!

Amigo Imaginário disse...

Esqueceste-te de acrescentar aquela coisa... Como se diz? Ah... corrida! Acordar cedo, de bom humor e ir correr é extremamente irritante. :)

gralha disse...

Ui, Amigo Imaginário, isso chega a meter nojo.

Quando me encontrares, o problema é termos de continuar a conhecer e conviver com pessoas. Pelo menos se não optarmos pela vida de eremita.

calita disse...

Se havia alguma dúvida sobre a veracidade do zodíaco, esta é a prova provada de que é um engodo. Nós somos do mesmo signo e do mesmo ascendente e é incompreensível que gostes de acordar cedo.
Só não compreendo que te sintas desintegrada, apesar da combinação beata frenética feminista. É que eu tenho a sensação oposta, ou seja, só vejo gente saudável e madrugadora à minha volta.


disse...

Tenho vindo a melhorar com os anos e já não rosno tanto mas não consigo ainda acordar com um sorriso ;)
Outro defeito, não sou extrovertida e se poder passar despercebida no meio da multidão, melhor!
Há várias formas de ser irritante, não és a única :)))
Pior; sou escorpião! ggggrrrr

disse...

*puder

gralha disse...

calita, isso é fácil de explicar: devo ter a lua em escorpião.

Té, bem-vinda ao clube :)

mm disse...

Adorava ter esse defeito!