26 março 2010

não é bonito mas é verdade

Não imaginava que me ia ressentir do mais velho por não me deixar gozar o meu novo bebé à vontade. Por vir tocar harmónica para o pé de mim quando estou a amamentar e me lixar o esquema todo. Por se pôr a martelar quando acabei de passar uma hora a adormecer o outro - e acordá-lo.
Não imaginava que me ia ressentir do mais novo por obrigar o mais velho a transformar-se, de repente, num menino crescido. Por me roubar quase todo o tempo que tinha para brincar com ele. Por me deixar tão cansada e rabugenta que me zango com o mais velho à mínima coisa. Por começar a chorar quando, finalmente, me tinha sentado a fazer puzzles com o outro, como tinha prometido.

Mas depois deito os meus dois rapazinhos, lado a lado, e a imagem é tão perfeita que me inunda o coração de amor. E tudo se encaixa no seu lugar.

6 comentários:

Ana C. disse...

Este texto podia ter sido escrito por mim linha por linha.
Sabes que me sinto culpada por dar atenção ao António e deixar de dar à Alice e culpada por não me dedicar tanto ao António como me dediquei à Alice quando era pequenina.
Caramba sinto-me constantemente dividida em duas, mas estas duas colam-se em alguns momentos de pura magia quando os tenho aos dois dentro do carro comigo e saímos para passear.

Vera disse...

Pois, é bem verdade. Outro dia o Ruca pediu-me colodisse: "Eu também xou canino"... quase chorei...
Felizmente o Lorenço ainda dorme a maior parte do dia, grandes sestas que me permitem estar com os manos. O Amadeu, apesar de só ter 4 anos é uma grande ajuda: vai buscar isto, vai buscar aquilo, abana o mano... enfim, o que vale é que elgosta e só faço isso quando ele está disponível, tento não interromper quando vê obonecos ou a novela da noite de que é super fã... lol
Nós fazemos por não descurar "pormenores" como ir deitá-los juntos, dar beijinhos, contar historinhas.
Mas acho que eles não se chateiam com a partilha, hoje de manhã estava com o Amadeu e o Ruca a tomar o pequeno almoço e o Amadeu disse: "qualquer dia o Lourenço também já está aqui connosco". Além de estar sempre a perguntar quando vem o próximo, lol
Da minha parte o que não é bonito, realmente, são os berros que dou quando o bebé está mais exigente e os outros se lembram de fazer palermices, especialmente se estou mais cansada grito com eles que até saltam, ainda deixo algum gago.
Foi decisão nossa tê-los assim de seguidinha por acharmos que não há espaço para grandes traumas, conhecem-se assim, cheios de manos e penso que acham normal. A questão de acabarmos por "obrigar" os mais velhoa crescer m ais depressa não é negativa, quanto a mim. Brincam, descobrem o mundoe igual maneira, talvez com mais responsabilidade e sentido de entrega e partilha.
Desde ue o bebé nasceu o Amadeu deixou o biberão e bebe na chávena, deixou a fralda de noite e começou a vestir-se sozinho. Tudo iniciativa dele, penso que é por se sentir o maior, quer estar à altura e percebe-se que imita muito mais o pai, no sentido de querer ser crescido.
De modos que é isto, contrariando o teu titulo, se calhar é mais bonito do que o que parece pois não há nada como ter irmãos e eles ressentem-se mendo que nós. Se prometeste fazer puzzles e são interrompidos pelo mano, ele está a aprender a ser paciente e a partilhar, não te passes, isso passa (trocadilho parvo) e daqui a uns meses já brincam todos juntos e aí é que é bonito!!!
Poças, alonguei-me um bocado mas já estás habituada... lol

ps: ainda não respondi ao teu mail porque quero enviar-te as fotos que pediste e a casa nunca está arrumada para as tirar, LLLOOLLLLL

Rita Baguinhos disse...

Garanto-te que faz tudo parte do pacote... para o bem e para o mal.

Os primeiros meses são tal e qual uma montanha russa de momentos e de emoções. Num minuto estamos no céu no outro no inferno.

Importante mesmo é relativizarmos as situações e outra dica mesmo importante é descansarmos sempre que pudermos... a falta de sono dá-nos cabo da cabeça, acredita que sei o que digo!!!!

Beijocas

Porque ... disse...

Faço tuas as minhas palavras...O pior disto tudo é que vamos sempre achar que ainda assim não fazemos o suficiente. Comprei um livro extraordinário:" Não há familias perfeitas" Percebi que afinal nesta questão da maternidade não sou única, mas "one in a million"... e isso fez-me muito bem...

pr disse...

=]]

Sara MM disse...

deve ser tão dificil ter dois.... nem imagino.... e o que mais me assusta é essa parte de os deitar lado a lado - numa casa pequena - como pode ser possivel que não se acordem um ao outro constantemente?!?!

mas é possivel!que os há, há!

bjss