31 março 2010

o desespero

Nem maminha, nem biberon, nem mãe, nem pai, nem leite materno, nem leite artificial, o Diogo não quer comer. Hoje lá marchou qualquer coisita mas esta noite foi para esquecer... Espero que melhore porque é mesmo uma aflição ter um filho que não se deixa alimentar. Tenho de ter mais paciência do que alguma vez sonhei que pudesse ter... E pensar que o meu pai - e eu, já agora - também eramos assim e não morremos de inanição. Já estou mesmo a ver a cena à mesa, daqui a uns anos, com o Diogo a passar comida ao Gugas às escondidas.

6 comentários:

Ana C. disse...

Com biberons nunca tive problemas, mas a partir da sopa e da papa foi sempre um pesadelo. Acho que só aos 2 anos é que a Alice começou a comer sem fazer cenas. Eu sabia que não devia insistir, que devia deixá-la ficar com fome por si, mas caramba como é dificil desligarmos o botão, é terrível...

Vera disse...

Sei que não é para brincadeiras mas o rapaz está a levar a ideia da quaresma à letra...
Mas ele chora com fome e depois não come ou simplesmente tem pouco apetite?! Se é a segund opção não tenhas stresses, eles acabam por ceder, mas se tem fome e não come não sei que te diga... realmente ser mão/pai é um teste à capacidade da nossa paciência...
Beijos e muita força!!!

Rita disse...

mariana, pensa q s ele estiver mmo esfomeado, ele vai comer!!! eu comecei o filme das papas e ja ando stressada pq o puto cospe, chora, n quer... bjos

Rita Baguinhos disse...

Imagino a tua preocupação? Mas ele chora e depois não oome? Ou mantem-se tranquilo mas come pouco?

Beijinhos e mantem a calma (se conseguires)

gralha disse...

Obrigada pela vossa preocupação. O problema é variado: umas vezes não tem mesmo apetite (mama uns 50 ml e não passa daí); outras vezes está esfomeado mas não pega na mama nem na tetina do biberon e fica desesperado. Felizmente, hoje já foi um bocadinho melhor.

Sara MM disse...

ops!!!!