26 janeiro 2012

psicologicamente de rastos

Fazia agora 3 maratonas para ter o Diogo bom de novo. Ele sofre e nós sofremos. Ele, prostrado. Nós, impotentes. Pessoas que ainda não têm filhos: não tenham filhos. Não saber, não poder ajudar, não ver a saída, não conseguir curar, duvidar, esperar, desesperar, não conseguir dar resposta aos olhos que nos miram e esperam que os façamos sentir melhor. É demais.

13 comentários:

Melissinha disse...

Um abraço apertado e sentido, Gralha. Queria mesmo poder fazer alguma coisa para ajudar. Se te lembrares de alguma coisa, é só apitar.

DNC disse...

É realmente desesperante ver um filho doente e nada poder fazer para curar a doença... mãe sofre...

As melhoras do menino.

Beijinhos

Dora

Ana C. disse...

Que merda, gralha, que merda. Ele vai recuperar. Até lá muita força.

Rainha Mãe disse...

Só posso desejar as melhoras rápidas. Nada mais podemos fazer. É nestas alturas que ser mãe é tão dificil. O resto fica tão insignificante. Força.

Vera Dias António disse...

De facto há merdas muito injustas. E as acrianças não deviam ficar doentes, NUNCA. É terrível, para nós, impotentes mas tanto para eles, tão indefesos!
Que fique tudo bem que uma pessoa nem sabe o que dizer, minha amiga!!!

triss disse...

:-(
força e as melhoras:-)

disse...

É terrivel esse olhar de pedido de ajuda...
As melhoras...

Rita disse...

Que passe rápido! Até lá muita força!

Raquel (persiana) disse...

rápida melhoras!
bjs

Mãe da Tiz disse...

É verdadeiramente desesperante... desejo-vos as melhoras e muita força!

beiijinhos nesse coração de mãe!

Abraçar disse...

:(

As melhoras, as melhoras!

Beijinho de força

Claudia Borralho disse...

oh pá!!! um abraço grande e apertadinho!

InêsN disse...

ai...o que se passa??

abraço apertado, as melhoras RÁPIDAS!