09 abril 2013

urgente: voltar à ficção

Rastejo pelas coisas do dia-a-dia. Acho que suspendi o voo quando parei de ler ficção e de correr (vejo agora como estas actividades se complementam). Vou já pegar no Wild, presente da maravilhosa Melissa, e calço os ténis para ir dar voltas à Gulbenkian no proximo sábado, a ver se já não me doi o adutor.
Entretanto, a busca de casa deixou-me exausta. Suspendemos a torrente de visitas e tornámo-nos mais precisos no ideal. O trabalho continua, logo vemos em que moldes com as mudanças que aí vêm no financiamento à Ciência. Os meninos rompem joelheiras, descobrem novas músicas favoritas, continuam a fazer muitas perguntas por minuto e adoram-se. Exigimos a chegada do bom tempo para gozar os fins de tarde sonhados no jardim. Se era para levar a vida na radiação cinzentificante de luzes artificiais, tinha seguido a minha opção carreirística e, ao menos, agora iamos passar uma semana à Costa Rica. Posso fazer reset? Deixem lá, já não me consigo imaginar a sério no modo lifestyle (passo meia hora no El Corte Inglés e fico cansada de revirar os olhos).

4 comentários:

Naná disse...

Andaste a botar cartas tarot da minha sina(com ligeiras adulterações)??!!

Melissinha disse...

Adoro ser maravilhosa. Adoro!

Ponto dois: caguei no tempo. A sério. Desde que não esteja a chover, estamos em parques, na praia, no minigolfe. Desde que não chova, a primavera está valendo.

Carla R. disse...

Caga, corre, lê, sonha, dança, voa.
Era para ser poética, mas a Melyssa estragou tudo. Mas tem razão, tem razão, temos que ser racionais acima de tudo. Ou quase, ou quase.

Ana. disse...

Adorei o Wild! Fiquei com uma vontade louca de pegar na mochila, em meia dúzia de pacotes de bolachas e fazer-me à estrada - ou ao monte!!
Espero que gostes!
;)