24 janeiro 2013

as bodas

Tenho um amigo que vai casar para a semana e que está tão nervoso, tão nervoso, que hoje chegou aqui para pagar cafés ao pessoal e tirou três chazinhos de limão, um a um, que foi uma limpeza. Fico emocionada que ainda haja quem tenha alguma deferência pelo matrimónio. Mesmo que garanta, de cara séria, que é um dia igual aos outros.

Um dia, volto a casar-me com o meu marido. Ainda não sei qual é o dia (mas estou danadinha, quanto mais não seja para fazer uma montagem em Photoshop daquela publicidade dos pacotes de açucar).

7 comentários:

ouvirdizer disse...

Há bodas e bodas, é o que é...
Eu também estou danadinha - para o teu e para o meu! Ahahahahahah

Olha... nem sei que diga. Conheço um gajo que se embebedou de véspera e, antes de entrar na igreja, ainda dizia que não queria casar (ela tinha engravidado...). Depois há os que casam com grandes festas porque parece bem mas o encornanço é comum ao antes e ao após o enlace.

Depois há bodas, das boas...

Há de tudo, é o que é...

Julieta disse...

Voltar a gastar aquele dinheirão todo? Nem pensar nisso é boa ideia. Agora fazer uma segunda lua de mel...isso sim! Desta vez nas Maldivas ou em Bora Bora. Isso é que era :)

gralha disse...

Vera, já tens data?
Julieta, não gastámos dinheirão nem no primeiro, nem no segundo. Pode ser que no terceiro :)

Naná disse...

Ah o nervoso miudinho... adoro quando os homens ficam assim tremeliques...

O meu ainda há-de ser, num dia de semana, a uma hora que ninguém suspeita, só eu e o meu amor grande e o amor pequeno de testemunha!

Inesa disse...

Houve um segundo????

gralha disse...

Inesa, eu aviso do segundo. Depois do acto consumado, claro :)

Julieta disse...

Sendo assim, tudo bem ;)