23 julho 2011

barrela

Nunca retirei prazer das pequenas tarefas domésticas. Invejo um bocadinho quem sente profunda satisfação ao contemplar a transparência das vidraças que acabou de lavar, a lisura de uma camisa imaculadamente engomada. Ao contrário da minha mãe (a minha mãe anda a aparecer muito por aqui, pergunto-me por quê), não estou sempre à procura de mais alguma coisa para arrumar ou limpar. Mas é verdade que gosto de ter as coisas arrumadas e limpas, e isso consegue-se muito graças a detalhes que escapam aos homens. E pronto, lá descamba este post para o sexismo. Não há problema, os (para aí) três leitores do sexo masculino que tinha - e já estou a fazer uma estimativa optimista baseada nos meus seguidores no Uganda - abandonaram-me desde que reconheci publicamente a modéstia da minha copa de soutien.
Nunca nenhum homem em todo o mundo fez uma barrela, por exemplo. Há nesse gesto uma antecipação, uma preparação do que vem a seguir. A postura masculina perante a nódoa é a da máxima agressividade, o anti-nódoas em spray mais caro que encontrar no supermercado, aplicado mesmo antes de atirar a roupa para a máquina, no ciclo super-power plus. A nódoa é, contudo, uma problemática que reage com mais eficácia a uma abordagem com jeitinho e dedicação alongada. Há que deixá-la de molho no bicarbonato de sódio. Ela dorme uma noite naquela solução e começa a dar de si. E depois há que cobri-la de sabão, o sabão Clarim que peço à minha mãe (olha ela de novo!) para me trazer de Portugal, e deixá-la soçobrar de livre vontade. Quando chega à máquina de lavar roupa, a nódoa já deve estar no purgatório da sujidade, mera lembrança ténue de uma peça de fruta, de uma fatia de bolo de chocolate. E é assim, neste jeitinho feminino de entrega, que a roupa sai fresca e nova do tambor, cumprindo promessas de publicidade a detergente. Parece que, afinal, tenho algum prazer nestas coisas.

5 comentários:

Melissinha disse...

METES-ME MEDO.

Inesa disse...

Tive de ler tudo para perceber o que raio é uma barrela!
Welcome back to XIX century!!!

gralha disse...

Melissa, visto que gostas de filmes de terror, vou presumir que isso é um elogio.
Inês, barrela é coisa que não fazes porque compras uma peça de roupa nova quando tens uma nódoa. Ou um par de sapatos, de consolação :P

Vera Dias António disse...

Ora bem, eu sou uma miuda do campo. Só começou a haver cinema aqui quando eu tinha uns 13 anos, antes disso passávamos o tempo com brincadeiras parvas. ORA, então uma BARRELA na minha terra é uma brincadeira típica de rapazes - daí eu estranhar no teu texto dizeres que os homens não fazem barrelas. Bem, explicava eu que barrela é uma brincadeira tipica de rapazes, nunca imaginei que fosse tirar nódoas...
A "brincadeira" consiste em algo como encher a braguilha das calças de ervas, especialmente picos, é algo deste género... e viva o interior!!! :)

gralha disse...

Vera, sua grande porcalhota! Isso é uma barrela?? Vai lá ao dicionário, vai.