22 setembro 2011

beira-rio

Equipei-me e saí para correr. Estava vento, como sempre, mas não vi corvos-marinhos. Dantes via-os, de manhã, quando não havia mais ninguém ali àquelas horas.
Ao fim do dia, o cenário que passa por mim enquanto mal piso o chão é feito de gente. Gente sozinha, sentada junto ao rio, debaixo dos pinheiros mansos. Gente debruçada sobre o corrimão, resistindo ao cheiro da maré baixa. E casais, de diferentes idades e níveis de intimidade. Uns sucedem-se aos outros. Atravesso, de raspão, primeiros encontros, relações ilícitas, arrufos, despedidas. Caras e caras que se conheceram em redes sociais. Ou numa discoteca. Ou num centro paroquial. Não sei se nos Alunos de Apolo. Tantas pessoas que cedem, momentaneamente, e reconhecem em público a solidão própria, a solidão alheia, e tentam superá-las. Têm posturas medidas. Desenham gestos previamente ensaiados. Falam de coisas banais e de coisas íntimas. As mulheres rindo, os homens inclinando a cabeça, esforçando-se por ouvir. Tanta, tanta gente que procura o amor ao longo das margens do Tejo. E não sabem que esse amor ribeirinho só está lá para quem tem 17 anos. Para os outros, já esgotou o prazo de validade. Mais valia dedicarem-se à pesca.

6 comentários:

Cliceli disse...

Amo pescar! Meu pai queria um filho par PESCAR com ele, mas eu dei conta disso! hehe. enfim. explorando blogs encontrei o seu e adorei. visite-me tambem quando puder. Se gostar muito siga..Abraços.
http://personalidadeinfiel.blogspot.com/

Rita disse...

É impressão minha ou anda um bocadinho melancolica?

Rita disse...

Queria dizer "andas"... não nos tratamos por você :)

Vera Dias António disse...

A Rita diz melancólica, eu acho-te tão poética, tão observadora, tão sensível... andas do coração, a puxar ao sentimento e é um prazer ler-te assim, e penso no prazer que será ler um livro teu... quando te decidires a isso... percebeste a dica?
Ora não te ponhas a trabalhar que eu digo-te, minha menina!

gralha disse...

Pois, realmente não diria melancólica mas antes provocadora e introspectiva, duas características minhas menos conhecidas :)

Melissinha disse...

Portugal baixou em ti, Gralha! :)