11 abril 2012

no caminho inverso

Enquanto tanta gente de valor, esforçada e a quem desejo continuação de bom caminho, reeduca alimentações e estilos de vida, perde peso e ganha bons hábitos de actividade física, eu forço o ponteiro no sentido oposto. Vou compreendendo, chocolate a chocolate, aqueles que preenchem vazios emocionais com calorias. É burrice, bem sei; se não resulta para os outros, também não há de resultar para mim. Entretanto, devoro bonbons e colheradas de leite condensado. Sempre são socialmente mais aceitáveis do que as drogas e o álcool e permitem-me adiar mais uns tempos a urgência de endireitar as ideias sobre a minha vida. Imagino-me no Verão, na praia, a esconder o rabo em pareos e a enfardar Magnuns de amêndoas. Não faz mal, é isso que se espera, no fundo, de uma trintona mãe-de-filhos.

7 comentários:

Ana C. disse...

Tu não vás pela droga legalizada, não vás mulher. É a mais difícil de largar, pois polula pelas prateleiras dos supermercados :)

Melissinha disse...

Já jurei a mim mesma que a próxima vez que eu der o tilt emocional entrego-me à bebida e às drogas.

ouvirdizer disse...

Ia dizer que ao preço do leite condensado e dos magnum mais valia começares a fumar mas depois lembrei-me de uns episódios do mais cómico que pode envolver uma pessoa e um cigarro e parti-me a rir. É melhor ires pelos doces, ou então não, ó pá... olha que depois a ecuperação é toda a vida... Olha que eu tenho t-shirts de todas as cores (e tamanhos)!
Beijos e atina-te que não vais para nova, aliás estás muito perto de ir para (um bocadinho) mais velha. Não é, não é?!!! :)

triss disse...

epá... isso do leite condensado já é uma cena mais "hard".
Eu cá, tenho dias em que se não como uns rolitos de queijo antes do jantar, e um chocolate depois, não sei o que seria de mim.

Catarina disse...

imagina conviver todos os dias com chocolates, bolos, guloseimas do mais variado que há no local de trabalho...

Daniela disse...

Eu acho que pior que ser gorda (que sou) é ter cabeça de gorda (que tenho!). Irrita-me solenemente compensar as frustrações com comida, mas faço-o. Se tenho chocolate em casa parece que nem consigo pensar nem abstrair-me do facto de ele estar no armário e tenho que comer. Se penso num croissant de chocolate, arranjo maneira de o ter... é terrível!
Deve haver comprimidos pra isto não? Eu digo-te...cabeça de gorda é uma merda.

Costinhas disse...

eh pá... e quando não se gosta de chocolate e leite condensado às colheradas, faz-se o quê?! drogas dispenso, será a bebida a salvadora?

vou pensar nisto a fundo... no entretanto vou ali por um Esporão a respirar e já volto.