02 maio 2012

etnografia do consumo

Para determinar o seu estatuto socioeconómico, por favor escolha a hipótese mais adequada:

a) O meu Pingo Doce estava um inferno, vi gente a lamber gelados das arcas frigoríficas e a polícia tinha medo de entrar;
b) O meu Pingo Doce tinha filas intermináveis mas consegui apanhar alguma coisa e fugir a sete pés (espero que repitam a promoção);
c) Ontem fui ao Pingo Doce e havia mais velhinhas do que é costume na caixa prioritária;
d) Ontem fui ao Supercór e trouxe um Pêra Manca 2003 que é uma maravilha.

Perdi uma belíssima oportunidade de fazer observação participante, ontem, com o caso do Pingo Doce. É por estas e por outras que a minha carreira académica nunca foi a lado nenhum.

8 comentários:

Melissinha disse...

a) e d).

Ana C. disse...

O Supercor estava fechado, ó tansa.

Naná disse...

none of the above...

gralha disse...

Melissa, a menina é claramente nova-rica. Ou nova-pobre. Ou ambas. Ou nenhuma delas.

Ana C., a questão é: foste lá e bateste com a cara na porta ou fizeste as compras online e a entrega ficou para hoje?

Naná: tenho de reformular o instrumento para se aplicar ao contexto campestre :)

Ana C. disse...

Passei pela estrada de Sintra, mais precisamente pelo Centro comercial da Beloura e da estrada deu para ver que estava fechado :)
Por falar em estrada de Sintra, comi ontem as melhores queijadas de sempre. Acabadas de empacotar e ainda quentes: QUEIJADAS DA SAPA.
Estou, portanto, inserida na alínea e) fui comer queijadas

gralha disse...

Não me parece muito correcto da tua parte falar em queijadas ainda quentes quando eu estou com uma fome desgraçada e ainda me falta mais de uma hora para chegar a casa e lanchar.

ouvirdizer disse...

Ahahahaah
O melhor post sobre a cena de ontem!

h) Fui ao intermarché (a unica superficie do genero em 30 km's) buscar café, açucar, coca-cola, pão e fiambre e paguei 5 euros, sem descontos. É isto!

Agora, uma questão: tanta história que o pingo doce e outros neste dia não abrem... isto é que é novidade para mim, porque aqui que só há o acima citado, aquilo nunca fecha, só no dia de natal, mas só mesmo! E já é um stress... onde é que uma pessoa vai? Não há mais nada, só cafés e aquilo, até o cinema está sem licença para projectar filmes... é a desgraça, é o que é!

triss disse...

E quem foi à mercearia da rua comprar uma frutinha para o comer da menina, enquadra-se onde?