12 junho 2012

o contrário do vinho do porto

Não sei se há mesmo pessoas que vão melhorando com a idade ou se é tudo uma treta para nos consolar, mas eu vou piorando a olhos vistos. No caso da minha faceta de mãe, então, a coisa é inegável. A sério que há quem tenha mais paciência com o passar dos anos? É mesmo possível ser uma mãe mais sensata e equilibrada com o segundo, o terceiro, e por aí fora? Então por que é que eu me vou tornando mais cansada, permissiva e trapalhona? Nos meus vintes, com um bebé fresquinho, havia tempo para a maternidade saída de um anúncio de fraldas. Só faltava o meu sorriso cheirar a pó de talco. Agora, não. Agora é tudo descabelado, improvisado, com nódoas, faz-se o que se pode. Exemplo: De manhã entrego-lhes automaticamente as escovas de dentes trocadas - porque eles fazem uma mini-fita se não têm a oportunidade de dar a escova ao irmão - e já nem reparo na ligeira insanidade deste gesto. Mas não me fico pelos aparvoamentos ritualizados, também sofro terrivelmente por não poder estragá-los e mimá-los à vontade, quando antes isso me parecia uma fraqueza de mãe nova-rica. E o medo de que lhes aconteça alguma coisa? Quem é que me enganou ao assegurar-me que a coisa ia amaciando com a experiência? Vantagens da idade, uma ova.

6 comentários:

Carla R. disse...

Com a idade ficaste distraída e amnésica, minha cara. Mas não te preocupes, eu estou aqui para te apontar os defeitos e te corrigir. Quando eles nasceram não parecias nada com os anúncios perfeitos da Dodot. Estiveste a ver fotografias, foi ? O teu marido usou photoshop e tu apagaste as que não eram recuperáveis.
Quanto ao ritual "insano" é das coisas mais mimis e sensatas que já tive a oportunidade de ler na blogosfera, encorajas a entreajuda, mostras que és flexivel e estás à escuta. Em suma, és extraordinária, grande, enorme, mas não voluminosa. E és uma mãe muito melhor do que alguma vez imaginaste, até porque a permissividade está longe de ser um defeito, em muitos dos casos.
Não gosto particularmente de vinho de porto, mas existem vinhos que só têm a ganhar em passar uns aninhos na cave. Gralha, lamento, mas pareces-me ser um deles.

Quanto a teres mais paciência quando eles eram recém nascidos e gritavam e berravam a noite toda, isto era apenas uma figura de estilo, certo ?

gralha disse...

Sabes que mais, Carla? Tens razão. Isto de a memória nos apagar as dificuldades é só um golpe baixo da natureza para nos levar à procriação em série.

Té F. disse...

Então terá sido por isso que fui ao 3º :)))
Não. Muito sinceramente (adoro a minha, ainda, bebé) mas ela consegue ser pior (mais asneiras, mais birras) que os dois mais velhos juntos (qdo tinham a idade dela).
Bom feriado e que vença Portugal - isto só para desanuviar um bocadinho.
Bj

Carla R. disse...

Nunca me engano e raramente tenho duvidas.

InêsN disse...

Um aplauso de pé ao comentário da Carla :)

Ana C. disse...

Sinto-me mais flexível com a idade, com mais tons de cinzento e mais preguiças agudas, mas isso tem muitas vantagens :)