10 setembro 2012

se é para explorar o pessoal, que se faça a coisa com pés e cabeça



Os problemas multiplicam-se como cogumelos: Não há dinheiro para o Estado Social. Não há como pagar a gasolina, o passe social, o supermercado, a renda da casa. Os professores estão no desemprego e os pais não chegam a horas decentes para dar o jantar aos filhos. A nossa produtividade continua baixa, muito baixa. E não há uma única proposta séria para resolver tudo isto, para limpar o quadro e voltar a escrever a nossa História. Pois bem, eu ouso dizer que sim, há uma solução. E a solução são as camaratas no local de trabalho.
A coisa funciona assim: os trabalhadores passam a viver no emprego durante a semana e só vão a casa ao fim-de-semana. Os eventuais filhos ficam na mesma situação, mas na escola (venha agora a FENPROF dizer que isto não gera emprego…). Poupa-se nas deslocações diárias, passa tudo a comer na cantina, e não há cá perdas de tempo a conviver com a família, a confraternizar com os amigos, e coiso. Vai tudo para o beliche às 21h e tudo acorda fresco para pegar ao serviço às 6 da matina. Até parece que já vejo as portas de S. Bento abrindo-se de par em par para me receberem depois da eleição. Vou preparar um quartinho mimoso para os pequenos, para quando eles me forem visitar aos Sábados. Sim, porque as minhas medidas serão verdadeiramente justas e equilibradas.

5 comentários:

Costinhas disse...

onde é que eu voto em ti?! acho brilhante. só uma sugestão extra: a malta fica no trabalho, e a criançada na escola, mas descontamos uma taxa extra no vencimento pelo aluguer do espaço, água e luz, pois essa taxa iria ajudar as empresas a ficarem ainda mais competitivas e ia gerar mais emprego!

(a malta brinca, mas olha que isto... bom. nem sei mais o que pensar a sério)

disse...

Gralha tu apaga este post não vá o primeiro passar por aqui e inspirar-se :)

agora a sério este país está uma verdadeira miséria. nunca pensei que houvesse gente capaz de cortar tanto ao ponto de cortar também no ordenado mínimo.

Bj

Rita disse...

Brinca, brinca mas vê lá se este post não inspira alguém. Da forma como isto está eu já não digo nada :(

Ana. disse...

Adoro esta tua forma irónica de falar! (escrever!!)

Naná disse...

Gralha, tu não te entusiasmes... olha que se isso pega moda... e ainda podem abotoar-se com os louros da tua ideia!