10 outubro 2013

à volta da mesa

A Pólo Norte dividiu o mundo (desta vez) entre os que comem à mesa da sala e os que o fazem na cozinha. Confesso-me estupefacta com a maioria que revela fazê-lo na cozinha já que sempre o fiz na sala. Acho que isso tem a ver com o facto de não associar a cozinha a um espaço onde gosto de estar mas apenas a uma divisão utilitária que, num mundo perfeito, eu só visitaria para ir pilhar chocolates a meio da noite. Se é importante começar bem o dia, um final de dia perfeito é à volta da mesa da sala, com a minha família. Não importa muito o que comemos mas antes que possamos estar finalmente a quatro, a conversar. E a apanhar a comida que um deles atirou ao chão, a mandá-los comer com a boca fechada, a negociar mais um bocado de carne em troco das últimas fatias de pepino, a desabafar irritações laborais e a ouvir música. E a dançar um bocadinho, quando o ritmo pede e enquanto o pai vai buscar a fruta. Estar à mesa, para nós, é estar em família. Deus me livre de fazê-lo rodeada de electrodomésticos, roupa estendida e a permanente recordação de que a seguir vem a louça para lavar. Mesmo que tivesse uma daquelas cozinhas de capa de revista, nada bate a declaração de guerra às lides domésticas que é ocupar a sala para nos juntarmos a comer. Ainda que seja efectivamente o único uso que damos à sala.

9 comentários:

Carla R. disse...

Mas e a capacidade de abstracção, não conta para nada ? Valha-me o Yoga que fiz no inicios dos anos 90, caso contrario, teria que comer nas escadas do prédio para ter alguma paz visual, à bendita hora em que nos reunimos para ingerir.
It's all in the mind.
Assim como assim, tenho uma cozinha australiana. Onde nunca se cozinhou kangurus, pobres bichinhos. Nada contra vacas e galinhas. Pobres vitimas... Quando é que nos passas as tuas receitas vegetarianas, by the way ?

Melissinha disse...

Comemos muito aconchegados na cozinha, porque a mesa da sala é enorme e faz-nos parecer uma família ainda menor do que é. E dá mais trabalho. Quando está cá o meu irmão, comemos ainda mais aconchegados. Já o meu pai não concebe uma família que coma na cozinha, é tudo para a sala.

O meu ponto de honra é TV. Não se come com TV ligada e pronto.

Inesa disse...

Toda a vida comi na cozinha e achava que comer na sala era coisa de gente fina. Em casa dos meus pais, aliás, nunca houve mesa na sala.
Hoje em dia, em minha casa, depende da perspectiva... são as (des)vantagens de uma kitchenette.

disse...

Já eu gosto de cozinhas :)
Comemos os 5 na mesa de madeira [pormenor importante ;)] na cozinha desde o peq.almoço ao jantar. Mas se te convidar para jantar já seria na sala...ou seja com amigos e família é na sala.

Red Nude disse...

Por aqui a cozinha nem mesa tem ;-)

gralha disse...

Obrigada, Red Nude. Já começava a achar que era uma ave rara.

Té, a minha mesa da sala também é de madeira (pormenor importante ;)

Inesa, tu és finíssima, não sei de onde vem essa teoria.

Melissa, tu ponto de honra es mi ponto de honra.

Carla R., o que é uma cozinha australiana?

inesn disse...

Em casa dos meus pais sempre comemos na sala pq a cozinha era muito pequena. Cá em casa comemos na cozinha, onde não há tv e digo-te que me sinto muito mais em família do que se comessemos na sala..

(para além disso, os pratos saem do armário, passam no fogão e vão directos à mesa e quando terminamos são-me passados por todos e ponho-os directamente na máquina sem me levantar nem nada :D)

triss disse...

A minha sala não tem mesa de jantar, não cabe. Por isso, embora deteste comer na cozinha, não tenho outro remédio :-)

Ana C. disse...

Eu vario bastante. Se estou com mais preguiça é na cozinha, pois que no final do jantar estou mais perto do local onde aterra a loiça, se não estou assim com tanta preguiça é na mesa da sala, mas quase sempre com tabuleiros, para depois cada um levar o seu para a cozinha :)
Gostei muito deste texto, para não variar.