28 outubro 2013

mata pequena






Juntam-se dezassete amigos e respectivos filhos, ocupam uma fileira de casinhas lindas e prolongam dias de sol e brincadeira ao ar livre com noites demasiado animadas para o avançado da idade. Misturam isso tudo com pão quente, queijo, vinho, castanhas, chouriço, sopa passada, brinquedos espalhados por todo o lado e gatos atrevidos que entram sabe-se lá por onde. Ganham em gargalhadas o que perdem em horas de sono. E conhecem outras dimensões da amizade e de si próprios enquanto pais. Não sei se é preciso uma aldeia para criar uma criança mas ficou provado que, numa aldeia, até a criança mais mal-criada tem sempre um terreiro onde gastar energia e um rancho de tios, primos e galinhas que lhe ganham aos pontos no campeonato da barulheira e do disparate.

3 comentários:

Naná disse...

E há lá coisa melhor?!...

disse...

Conheço bem esse enredo!
No nosso caso "juntam-se oito casais de amigos e respectivos filhos..."
Agora fiquei cheia de saudades, a pensar nas passagens d`ano e no Alentejo...e já não falta assim tanto :)

Melissinha disse...

Gente é uma coisa chata mas também é uma coisa maravilhosa.