04 dezembro 2014

conformismo 1 - feminismo 0

Isto é tudo muito bonito mas quando há um filho ranhoso que não quer levar o pacote de lenços da Minnie para a escola porque as meninas - reparem, as meninas! - gozam, é claro que a mãe esvazia os lenços da Minnie para dentro do pacote vazio do Donald. O discurso do não há coisas de menina e de rapaz até já está interiorizado mas é preciso saber escolher as batalhas.

6 comentários:

Melissinha disse...

Hhaahahah eu faria o mesmo. Militância tem limites, especialmente a determinadas horas da manhã.

Amigo Imaginário disse...

A minha batalha actual é exactamente ao contrario: convencer o Diogo a ser menos "gaja"... Menos tempo no duche, menos tempo a arranjar-se de manhã, menos preocupação com a aparência, menos vaidade, menos, menos, menos!

(nota-se muito que é um tema que ma anda a dar cabo dos nervos?)

gralha disse...

Diogos, pá! Trabalheira sem fim.

Mãe que ainda não aprendeu a ser flexível chama-se grávida, Melissa.

Quando me encontrares disse...

Flexibilidade é preciso, sim.
O meu tem camisolas que não gosta de levar para a escola, porque têm bonecos.
Dantes, insistia com ele com a conversa de se-gostas-não-te-preocupes-com-o-que-os-outros-dizem, mas depois via-o com um ar tão miserável que chegámos a um compromisso: veste essas camisolas ao fim-de-semana.

Rita Camões disse...

Dá cá a mão :) esta semana trocamos umas meias da miffy (azuis escuras quase nem se dava por nada) que eram da mana por umas sem bonecos, porque mãe nem penses que vou para o balneário do hóquei com meias da miffy... e eu que pensava que os "homens"(6 anos pfffff) não ligam à roupa...

E sim 7.30 da manhã não é uma boa hora para conversas sérias....

D.S. disse...

Desde que a guerra esteja bem encaminhada, perder uma batalha não é nada ;)