11 outubro 2010

a gralhisseia

Depois de quadriliões de quilómetros de carro, avião, combóio, metro, a pé, enfrentando ventos e tempestades, consegui voltar a casa.
Agora o meu homem está a dizer: "espero que estejas a dizer bem do teu marido", de modo que começo já por aí - ah, que rico marido que eu tenho, que tomou conta dos dois petizes sozinho durante 80 horas.
Os casamentos foram lindos, as noivas estavam lindas e muito felizes, houve muita choradeira, abraços e sorrisos, correu tudo muito bem e nem fiquei de rastos, nem nada. Pronto, fiquei, mas valeu a pena. Até o imprevisto de ter perdido o vôo de ligação Londres-NY acabou por ter a vantagem de me deixar dar um saltinho ao centro da cidade e descansar os olhos na National Gallery. Agora, é encher os meus rapazes de beijinhos e voltar ao trabalho!

Para quem acha que o título do post se devia escrever com "c" e não com dois "s", concordo. Era só para se perceber melhor a alusão aos clássicos gregos. Mesmo assim não se percebe. Mas também isso não interessa a ninguém.

4 comentários:

Melissinha disse...

Podia ser a gralhipopeia!

Vera Dias António disse...

É de odisseia, não é?!!!
Ainda bem que correu tudo bem, tens um marido que vale ouro (L., não era para qualquer um, acredita!!!)
Beijinhos para todos!!!
E ainda foste a Londres, que adoras, que fi-xe!!!

Costinhas disse...

achas que me sinta feliz por ter percebido o trocadilho assim que o li?! :p

ah... e pelo meio dos beijos e do trabalho tenta respirar, ok?!

beijinhos

Margarida Atheling disse...

Claro que se percebe miúda!
Nem é preciso ser de história e ter falado muito dos gregos e tal (e ando a dar a Grécia aos meus meninos do 10º ano e tudo, e tudo...)!

Mas é verdade. Como é dito o primeiro comentário, também podia mesmo ser gralhipopeia.
É só escolheres!

Grande mulher! :)
Ainda bem que valeu a pena!

Bjos!