18 junho 2010

férias, essa bela miragem

Houve alguém que me fez agora lembrar da minha santa vidinha, por esta altura do ano, quando corria o início dos anos 2000. Trabalhos da faculdade há muito entregues, estante cheia de lombadas frescas da Feira do Livro, e noites de Verão a sério, daquelas em que abria a janela e ouvia os grilos. E depois fechava a janela para não entrarem mais melgas.
Que Verões tão bons, caramba! Nada para fazer durante quatro meses inteirinhos. Todo o tempo do mundo para o que me desse na real gana. E agora, meus meninos, agora era só três dias no Parque de Campismo da Costa da Caparica, sem fraldas nem biberons nem choros, e era ver-me uma mulher repousada. Pronto, não peço tanto: só 2 horas de bicha para chegar à praia, sem ar condicionado no carro e a ouvir MixFM já eram uma variação bastante apelativa aos meus dias de hoje. Que eu nem sou pessoa de me queixar (pronto, sou) mas já não me lembro da sensação da horizontalidade prolongada.

5 comentários:

VDA disse...

sim amiga, esta altura era tãooo boaaaa. cada vez que há feira do livro tenho uma ligeira depressão. e a costa... e aquela sangria de vinho branco e as tostas... lembras-te?!!! conseguiamos semi-embebedar-nos e depois passava e regressávamos frescas a lisboa, lol. lembro-me daquela vez em que fomos para a praia para animar a joana quando o namoro terminou e 2 ou 3 jarros de sangria depois estávamos todas mais deprimidas do que ela, tal era a loucura das nossas vidas amorosas, lol.
valeu-nos santo antónio, lol!
há alturas como esta em que sinto falta de lisboa, lisboa é fixe, é gira, é clara, as pessoas não se metem na nossa vida... adorei aqueles anos em lisboa. se eu pudesse pegar na minha casa e colocá-la ali na zona de picoas onde adorei viver era perfeito, mas parece que não dá, lol!

gralha disse...

Vera: Lembro-me disso tudo com muita clareza, excepto a parte de nos passar a bebedeira. Felizmente, o meu jipe não dava mais de 110 km/hora (nas descidas). Vê lá se vais mesmo a Lisboa, marca um dia qualquer na primeira quinzena de Julho, sim?

VDA disse...

O teu jipe era o máximo!!! Tu não me digas que a bebedeira não t passava, LLLOOOOLLLL
Só espero que os nossos filhos arranjem amigos fixes e se divirtam como nós, com o devido aproveitamento!!! (de preferência num curso que lhes dê muito dinheiro, lol)

Dedinho disse...

Que espaço pleno de amor puro encontrei aqui minha anja guardiã dos seus. E essa horizontalidade de que fala também a encontra na meditação sabia?
Aqui fica o meu mantra pessoal de cada vez que quero estar na praia em pensamento:
Beeeeeeeeeeeeeee
aaaaaaaaaaaaaaaa
chhhhhhhhhhhhhhh
Invoque o mantra 126 vezes sentada virada para Oeste, enquanto coloca os pés em redor do pescoço e verá que a praia chegará à sua mente.
Bisouxxxxxxxxxxxxx

Rita disse...

Muita praia, sol, livros, musica, noitadas... tantas!!!

Bolas a nossa vida muda mesmo!

A sorte é que os putos crescem e eu so espero manter a sanidade mental para depois voltar a fazer tudo aquilo que gostava. Bem, se calhar já não vou ter é pedalada para as noitadas :)